28fev

Documentário sobre a família da prodigiosa violinista Ária Paraense Ramos

Compartilhe com os amigos!
83Compartilhamentos

No sábado (27) a noite ficou disponível o Documentário ‘Sete Notas’, do produtor cultural, fotojornalista e artista visual Tácio Melo, que narra a história da ‘Família Ramos’ em Manaus. A caçula da família Ramos era à Ária Paraense Ramos, ou simplesmente, Ária Ramos, que tocava seu violino e encantava à todos no início do século, bem no auge do período áureo da borracha, entre os anos de 1877 e 1940, e que acabou assassinada durante uma apresentação em um baile de carnaval em Manaus em 17 de Fevereiro de 1915, com apenas com 18 anos e meio. Hoje, seu mausoléu no Cemitério São João Batista chama a atenção de todos.

O mais incrível é entender que toda a família possuía uma forte ligação com a música, história e desenvolvimento cultural e artístico da cidade de Manaus e o documentário mostra exatamente isso através de uma série de convidados como pesquisadores e os próprios familiares portugueses, que revelam, inclusive, o violino original da pequena Ária Ramos que está passando de geração em geração mantendo a história viva.

Documentário 'Sete Notas' / Foto : Reprodução Documentário 'Sete Notas'

Documentário ‘Sete Notas’ / Foto : Reprodução Documentário ‘Sete Notas’

Resgate Histórico e Cultural

Esse documentário mostra uma parte importante da história e formação de Manaus, que era uma vila e de repente, explode como uma das principais cidades do mundo tendo acesso simultaneamente as benesses que se tinham na Europa, durante o período áureo da borracha, e que justamente nesse período atraiu inúmeros imigrantes europeus. E portanto, em 1877, dois jovens portugueses se aventuraram no norte do Brasil para garantirem seus futuros. Um deles, aposta na música para garantir a vida de seus filhos. As 7 notas são portanto o pai, o Major Lourenço Ramos (de chapéu na mão), a mãe Carlota de Souza Ramos (de babado preto atrás da Ária), e seus cinco filhos: Lírio Ramos (o mais velho atrás da Ária), Celeste Ramos (À direita de cinto destacado a mais velha das mulheres), Pátria Amazonense Ferreira Ramos (À esquerda, de branco), Horizonte Ramos (próximo à irmã Celeste) e Ária Paraense Ramos (a caçula apoiada no braço do seu pai).

Família Ramos completa, com a pequena ária Ramos sentada ao lado do pai. / Reprodução 7 Notas

O documentário é uma viagem no tempo através de uma narrativa está estruturada da seguinte forma:

  • A chegada dos Portugueses no Amazonas e seus aspectos culturais;
  • A vinda da família Ramos à Manaus (1877-1885);
  • Relatos sobre como era a vida da família em Manaus e as relações diretas com Portugal, incluindo viagens e outras aventuras;
  • O auge da vida financeira da família na cidade e a atividade artística intensa dos filhos;
  • Relatos sobre a morte de duas pessoas importantes para a história da família;
  • O fim da passagem da Família Ramos na cidade de Manaus e o que motivou a sua partida;
  • E por fim, o retorno à Portugal para uma nova vida.

Ária Paraense Ramos

Por ter marcado época e muitos mistérios estarem associados à história da morte de Ária Ramos (como por exemplo, a causa, que até hoje não foi comprovada, e ainda especulações sobre um possível assassino, que talvez tivesse algum tipo de relacionamento com a vítima etc) – que morreu tragicamente aos 18 anos de idade, até hoje, a história da artista é lembrada nos jornais de Manaus, no mês de fevereiro, e a cada década, algum tipo de homenagem é prestada à artista, a primeira delas, talvez, trate-se da lápide esculpida em mármore que existe até hoje no Cemitério São João Batista.

Ária Ramos

Se depois quiser aprofundar mais a leitura, eu tenho um post que fala exatamente sobre essas versões e conta um pouco mais sobre a vida e morte de Ária Ramos, a moça do violino no Cemitério São João Batista em Manaus…

Conheça a misteriosa morte da Ária Ramos, a moça do violino no Cemitério São João Batista em Manaus

Pelo documentário ter sido realmente muito bem construído, com conteúdo rico de imagens, memórias, e mostrou uma importante ligação de Manaus x Lisboa com depoimentos aqui e lá, com imagens aéreas em Manaus e em Portugal, gostaria de render meus mais sinceros parabéns ao idealizador, diretor e roteirista Tácio Melo por esta obra prima e que muito enriquecerá a vida dos Amazonenses que amam conhecer a história da cidade e dos cidadãos. Parabéns pelo documentário. Realmente incrível. Tudo perfeito. Cara o violino real! Que baita ensinamento sobre a família e que triste situação vivida. Muitas emoções fortes e aprendizados com o Doc. Parabéns. Tácio.

Tácio Melo / Divulgação

O Documentário ‘Sete Notas’ é uma pérola dos documentários. Como dito, ele  narra a história da ‘Família Ramos’ e a sua forte ligação com a música, história e desenvolvimento cultural e artístico da cidade de Manaus, no período áureo da borracha, entre os anos de 1877 e 1940 e estreou ontem dia 27 de fevereiro, às 18h00, com acesso gratuito e transmissão online pelo site ‘Culturas Conectadas’.

Quer assistir? Corre que é só até hoje e faça aqui a sua Inscrição: http://bit.ly/whatsappsetenotas

Quem não assistiu nos dias 27 e 28 de fevereiro, deverá aguardar a próxima sessão prevista para o próximo final de semana, nos dias 6 e 7 de março de 2021.

Veja o Trailer Oficial do Documentário Sete Notas

 

Comentários

Compartilhe com os amigos!
83Compartilhamentos

Sobre Marcus Pessoa

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e em meu blog escrevo sobre Cidades Inteligentes, Marketing Digital, Curiosidades do Amazonas, Manaus de Antigamente além de dar minhas opiniões e Pitacos sobre coisas do cotidiano que interferem diretamente na vida de todos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

© Copyright 2013-2021, Todos os Direitos Reservados