17ago

O que são Stalkers?

Compartilhe com os amigos!
223Compartilhamentos

Com a quantidade de redes sociais que surgiram ultimamente, uma das coisas mais fáceis de fazer é vigiar os outros, porém é importante você saber que Stalking é crime!

Se você já se sentiu observado, vigiado e até mesmo seguido pela internet — principalmente dentro de redes sociais —, saiba que você não é o único. Hoje em dia não precisa ser uma celebridade para ser investigado pelos outros, qualquer pessoa corre esse “risco”, porém, existem pessoas que acabam ficando paranóicos com isso e levam essa investigação para o lado físico e é isso que pode se tornar um problema grave.

Neste post, vou contar um pouco sobre a definição de stalking e como as pessoa são vulneráveis, mas claro, vou dar algumas alertas de como podemos nos proteger desse tipo de “investigação digital”.

O que são Stalkers?

O que são Stalkers? / Foto : Divulgação

O que são stalkers digitais ou cyberstalker

Stalking agora é crime mesmo que todas as informações conseguidas sejam através de diversas buscas onlines, indo de site em site e buscando sempre os rastros das pessoas.

Resumidamente, stalking é a vigilância que uma pessoa faz em relação a outra. Nem sempre há um motivo claro além da obsessão, no entanto, um stalker (ou seja, o obcecado) muitas vezes pode ter o intuito de amedrontar sua vítima, ou descobrir algo que a comprometa. Se fosse ter uma tradução para o português seria algo como perseguidor / vigilante obcecado… Algo do gênero.

Cuidado com o Google

Tudo que você publica na internet o Google faz uma varredura e deixa a disposição de TODOS. Você pode, por exemplo, procurar seu nome no Google e ver as coisas relacionadas à você, desde concursos que você fez e não passou, ou vestibular, ou alguma denuncia envolvendo seu nome, processos civis, etc. Para que você tenha uma busca precisa, coloque o seu nome entre “aspas” e ele então te dirá com precisão somente aquela palavra. Ele sabe tudo o que a pessoa que você está perseguindo colocou na internet, mas ele sabe tudo sobre você também.

Vários blogueiros possuem algumas ferramentas que nos mostram como vocês chegaram no nosso site se foi pelo Google, por link direto, por link em outros sites referenciados, por outras mídias sociais, enfim… São informações rastreadas à nossa disposição e meu site, por exemplo, fica registrado em seu computador, para que quando você o acesse novamente, algumas informações já não precise novamente carregar.

Outro exemplo clássico é quando você procura no Google passagens aéreas e depois você está vendo anúncios de promoção de passagens no Youtube, no Facebook, no Instagram ou qualquer outro lugar. Você não achou que aquilo era coincidência, né?

Então, dependendo de como você fizer essa busca, você pode se auto-denunciar.

Cuidado com o Facebook

Mais de um bilhão de pessoas estão conectados no facebook, porém, devemos estar atentos ao que publicamos lá, devemos saber também que existem diversas maneiras que “entregamos nossas informações” de bandeija para quem quiser.

Existem diversas maneiras, as vezes sem perceber, que você entrega suas informações (a moeda do mundo moderno) para o facebook, poderia citar como primeiro passo ao preencher sua data de nascimento você os permite fazer coisas como exibir conteúdos e anúncios apropriados à sua idade.

Você também entrega informações básicas tais como nome, educação, e-mail, gostos, amigos, preferências, locais que você esteve, locais que você mais faz check in… Como se não bastasse apenas você entregar as informações de bandeja, seus amigos passam informações para eles sobre você quando carregam suas informações de contato, publicam uma foto sua, marcam você em uma foto ou atualização de status, ou em um local, ou adicionam você a um grupo, te convidam para algum evento entre outras formas.

Enfim, é um mundo de informação a vista de todos, e quem quer stalkear pode ir lá que é a coisa mais tranquila do mundo, e ainda mais agora que o facebook teve a ideia genial de promover a “timeline” para facilitar a vida dos stalkers.

Portanto se você não quer que as pessoas saibam, publique em privado, ou compartilhe apenas com os seus amigos!

Stalking agora é crime / Foto : Divulgação

Cuidado com o Twitter

O jeito mais tranquilo de se proteger, é protegendo os teus twitts. O problema é que hoje todo mundo quer ser estrela e não se importa se os outros te leem, e assim acaba se tornando vitima fácil dos stalkers.

Por exemplo, se você quer stalkear alguém, basta você ir no site Hootsuite ou instale o Tweetdeck e adicione uma coluna de tuítes com o search do @fulano. Você vai saber tudo o que ele twittar e todos os replies que ele receber. Ou chegue na maior e entre no perfil da pessoa através da maravilha da “timeline” também do twitter e você irá ver tudo que a pessoa twittou.

Entre no perfil dela > following > tweets.

Cuidado com o FourSquare / Swarm

Por que as redes perguntam o tempo todo “Onde você está?” ou “No que você está pensando?”

Primeiro lugar porque elas precisam de interação sua e que você não apenas crie conteúdo na plataforma, como revele respostas pessoais e o que muitas das vezes é o que de fato acontece. Ao responder essa pergunta você acaba dizendo os locais que frequenta, o local que mora (porque muita gente, inclusive eu, adciona o local que mora na lista para check in), você às vezes lista os amigos, tira foto de dentro de casa, e essas coisas, às vezes parecem muito simples, porém, você está se expondo.

Essa exposição excessiva é um prato cheio para quem quer te investigar, perseguir, stalkear. Tudo é possível meter os cadeados e deixar apenas para os conhecidos. Faça assim, evite check in em locais pessoais como por exemplo (minha casa, casa da mamãe, casa da vovó, meu quarto).

Cuidado com os Stalkers

Com a explosão das redes sociais nos últimos anos, o trabalho dos stalkers ficou muito mais fácil, essa é a verdade. Ter um perfil nesse tipo de site é, simplesmente, se expor, e as informações divulgadas podem ser um prato cheio para qualquer agressor.

Uma simples busca pelo nome de alguém é suficiente para localizar uma pessoa. O que dizer sobre encontrar uma pessoa e já saber sobre comunidades de lugares frequentados e maneiras de contato escancaradas, às vezes com endereço, CEP e telefone?

Há um certo “vício” — se assim podemos dizer — de muitos em querer estar visíveis, e as consequências disso podem ser muitas: desde cair em brincadeiras sacanas até cair na obsessão de alguém mal-intencionado.

Muitas redes oferecem recurso de geolocalização, como FourSquare e Twitter. O primeiro, por exemplo, chega a enviar mensagens como “Eu estou em…” seguidas do nome e endereço do lugar. Por um lado, prático e divertido, por outro, é como ter um GPS apontando exatamente sobre você, para quem quiser ver.

Cuidado com a sua privacidade

Sua privacidade deve pesar mais do que tudo. Em sites de redes sociais como Facebook, Twitter, Instagram, Hello, Swarm, FourSquare, entre outras, sempre vasculhe as configurações. Lá, devem estar opções de privacidade, ou seja, quais contatos podem ter acesso às suas informações pessoais.

Mas mesmo com as configurações de privacidade, não se sinta blindado. A princípio, seus dados estão seguros em uma rede confiável, mas há a chance de eles vazarem, por exemplo, se um dos contatos da rede tiver seu perfil invadido.

Guarde bem suas informações.Além disso, a maioria de casos de stalking envolve pessoas conhecidas entre si. “Ex” de um relacionamento turbulento são casos clássicos, por exemplo. Uma pesquisa nos Estados Unidos revelou que stalkers desconhecidos representavam apenas a minoria dos casos.

Tome cuidado com o que publica. O conteúdo da internet é indexado, ou seja, disponibilizado por anos por qualquer mecanismo de buscas. Um stalker usará tudo o que pode contra você, logo, é necessário medir as consequências de suas publicações.

Não queremos dizer que você deve se sentir sempre ameaçado, com medo de publicar informações, de maneira alguma. A peça-chave é o bom senso. Sempre pese o que você ganha e o que pode perder ao disponibilizar informações pessoais na internet.

Lembre-se de que a grande rede é uma faca de dois gumes: há o lado rápido, prático e ótimo para a comunicação, mas há também o lado perigoso da maldade de muitos malfeitores. A verdade é que eles estão sempre à frente, buscando maneiras de quebrar a privacidade de suas vítimas. Portanto, faça o possível para se antecipar a eles.

Stalker Agora é Crime, trata-se da Lei 14.132, de 2021

A lei que tipifica o crime de stalking é a Lei 14.132, de 2021. A norma altera o Código Penal (Decreto-Lei 3.914, de 1941) e prevê pena de reclusão de seis meses a dois anos e multa para esse tipo de conduta.  O crime de stalking ficou definido como “perseguição reiterada, por qualquer meio, como a internet (cyberstalking), que ameaça a integridade física e psicológica de alguém, interferindo na liberdade e na privacidade da vítima.”

A nova lei é oriunda do PL 1.369/2019, de autoria da senadora Leila Barros (PSB-DF).  A senadora destacou justamente o avanço das tecnologias e o uso em massa das redes sociais que acabaram trazendo novas formas de crimes e por isso era mais do que necessário a atualização do código pena e assim dar mais segurança às vítimas de um crime que muitas vezes começa on-line e migra para perseguição física.

Antes, a prática era enquadrada apenas como contravenção penal, que previa o crime de perturbação da tranquilidade alheia, punível com prisão de 15 dias a 2 meses e multa.

De acordo com a nova lei, o crime de perseguição terá pena aumentada em 50% quando for praticado contra criança, adolescente, idoso ou contra mulher por razões de gênero. O acréscimo na punição também é previsto no caso do uso de armas ou da participação de duas ou mais pessoas.

Por ter pena prevista menor que oito anos, porém, o crime não necessariamente provocará prisão em regime fechado. Os infratores podem pegar de seis meses a dois anos de reclusão em regime fechado e multa.

A nova lei também revoga o Artigo 65 da Lei de Contravenções Penais (Decreto-Lei 3.688, de 1941), que previa o crime de perturbação da tranquilidade alheia com prisão de 15 dias a 2 meses e multa. A prática passa a ser enquadrada no crime de perseguição.

Stalking prevê pena de reclusão de seis meses a dois anos e multa

Stalking prevê pena de reclusão de seis meses a dois anos e multa

Comentários

Compartilhe com os amigos!
223Compartilhamentos

Sobre Marcus Pessoa

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e em meu blog escrevo sobre Cidades Inteligentes, Marketing Digital, Curiosidades do Amazonas, Manaus de Antigamente além de dar minhas opiniões e Pitacos sobre coisas do cotidiano que interferem diretamente na vida de todos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

© Copyright 2013-2021, Todos os Direitos Reservados