16ago

Entenda o que está acontecendo no Afeganistão após a saída das tropas norte-americanas!

Compartilhe com os amigos!
165Compartilhamentos

Há poucos meses os Estados Unidos iniciaram a retirada de suas tropas após quase 20 anos no Afeganistão. Esse ato provocou a ressurreição do grupo extremista Talibã, que em poucas semanas já conquistou o domínio de quase um terço do país.

O que poderia dar errado com a decisão de Joe Biden de retirar as tropas dos EUA do Afeganistão em 11 de setembro de 2021, exatamente 20 anos após o ataque às Torres Gêmeas?

Nesse vídeo contem alguns pontos que ajudam a  entender o que está acontecendo no Afeganistão e por que a situação é extremamente preocupante

Entenda o que esta acontecendo no Afeganistão após a saída das tropas norte-americanas!

Entenda o que esta acontecendo no Afeganistão após a saída das tropas norte-americanas!

Os Estados Unidos invadiram o Afeganistão após os atentados de 11 de setembro de 2001, com a intenção de capturar o terrorista Osama Bin Laden, acusado de ser o responsável pelo atentado.

Na época, o presidente George W. Bush ordenou a invasão dos americanos ao território do Afeganistão, porque o Governo do Talibã, que era quem governava o país na época, e se recusou a deportar Bin Laden.

Com a entrada dos americanos, eles tiraram o Talibã do poder. A caçada a Bin Laden durou 10 anos, sendo morto e capturado em 2011, já no governo do Barack Obama.

Osama Bin Laden

As Torres Gêmeas em chamas

Após 20 anos em solo afegão é chegada a hora dos Estados Unidos deixarem o Afeganistão. As negociações já são antigas, ainda em 2020, o então presidente Donald Trump, negociou a saída da tropa com o governo do Afeganistão, alegando que agora , após quase 20 anos, eles poderiam caminhar com suas próprias pernas. É óbvio que o custo de você manter um exército em outro país é enorme e portanto, após quase 20 anos de ocupação, os Estados Unidos já não querem mais arcar com tantos custos. O atual presidente Joe Biden no dia 08 de julho fez um pronunciamento reafirmando que até o dia 31 de agosto, o exercétio americano estaria fora.

Essa atitude acabou gerando críticas da comunidade internacional, pois eles achavam que se isso acontecesse o Talibã voltaria e seria como jogar o Afeganistão à sua própria sorte.

 

Exército Americano no Afeganistão

O Talibã é um grupo fundamentalista islâmico que surgiu oficialmente na década de 1990, mas sua origem se deu mediante o contexto da guerra fria. Em 1979 a União Soviética invadiu o Afeganistão para apoiar o governo comunista no país. Com o apoio dos Estados Unidos, o Talibã surgiu na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão no mesmo período e resistia à presença soviética no Afeganistão. Fortalecido , treinado e armado até os dentes, o Talibã tomou o controle do Afeganistão em 1994 e passou a impor sobre a população sua visão radical da lei islâmica, até ser derrubado pelas tropas americanas em 2001.

Sob o domínio do Talibã, o Afeganistão viveu sob conceitos medievais. O cenário de destruição paira sobre o país, homens devem deixar a barba crescer e meninas são proibidas de ir à escola e não podem mostrar o corpo. Música e maquiagem são proibidas e a justiça Talibã aplica penas que variam de decapitação de um membro do corpo, até apedrejamento em praça pública. A miséria e o analfabetismo fazem parte da realidade do país.

Cabul nos Anos 70

Com a saída das tropas americanas, o Talibã se viu livre para recuperar o controle do país após 20 anos. A saída das tropas americanas se deu há poucos dias e o talibã já controla um terço do país e só uma questão de tempo para que o grupo assuma o controle total do território. A situação é assustadora e o país está presetes a entregar em uma guerra civil. Multidões vagam sem rumo fugindo da violência, países vizinhos fecharam as fronteiras com receio do êxodo de refugiados, e a população está abandonada em meio a um projeto de paz que deixou de existir. Uma negociação internacional tenta chegar a um acordo para uma saída pacífica, mas aparentemente já é tarde demais.

 

Entrar é fácil, sair é difícil e continuar pode ser mais complicado ainda…Um caminho bem longo e complicado, da perspectiva atual, em que as forças antitrumpistas se animam com a perspectiva de derrubar o presidente via impeachment.

Talibã não quer paz, quer poder.

A saída dos Estados Unicos provoca sempre um vácuo, vácuo parecido fez com que nascesse o Estado Islâmico.

A morte de Osama bin Laden, numa impressionante operação militar americana em solo paquistanês, em maio de 2011, espalhou uma sensação de alívio nos países que vinham sofrendo ataques organizados pelo grupo Al-Qaeda. O responsável pelo 11 de Setembro e tantos outros atentados não podia mais espalhar sua campanha de violência. Poucos imaginavam, no entanto, que não muito longe dali, no ainda instável e violento Iraque, pudesse estar nascendo uma ameaça potencialmente ainda mais grave.

Apesar das inúmeras vitórias de forças aliadas contra grupos islamistas, vários jihadistas – os que promovem a chamada “guerra santa” muçulmana – remanescentes da Al-Qaeda no Iraque se reorganizaram. Em 2013, nascia o chamado Estado Islâmico no Iraque e no Levante, conhecido também pela sigla Isis, que viria a dominar e aterrorizar partes do Iraque e da Síria e espalhar suas matanças por vários continentes.

Entrar é fácil, sair é difícil e continuar pode ser mais complicado ainda…

Comentários

Compartilhe com os amigos!
165Compartilhamentos

Sobre Marcus Pessoa

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e em meu blog escrevo sobre Cidades Inteligentes, Marketing Digital, Curiosidades do Amazonas, Manaus de Antigamente além de dar minhas opiniões e Pitacos sobre coisas do cotidiano que interferem diretamente na vida de todos.

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados *

*

© Copyright 2013-2021, Todos os Direitos Reservados