11out

Bolsonaro não quer que mulheres pobres tenham absorvente grátis!

Compartilhe com geral!
0Compartilhamentos

Ilustração da capa Desenhos do Nando @desenhosdonando

O presidente Jair Bolsonaro sancionou a lei que institui o Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual, mas vetou os principais pontos da proposta aprovada pelos parlamentares, como a previsão de distribuição gratuita de absorventes higiênicos para estudantes carentes dos ensinos fundamental e médio, mulheres em situação de vulnerabilidade e presidiárias.

A lei é fruto do projeto 4968/19, da deputada Marília Arraes (PT-PE), aprovado em agosto pela Câmara dos Deputados e em setembro pelo Senado Federal.

Conforme a lei, o programa tem o objetivo de combater a precariedade menstrual – ou seja, a falta de acesso a produtos de higiene e a outros itens necessários ao período da menstruação.

A norma prevê que o programa será implementado de forma integrada entre todos os entes federados, mediante atuação, em especial, das áreas de saúde, de assistência social, de educação e de segurança pública.

O texto publicado obriga o poder público a promover campanha informativa sobre a saúde menstrual e as suas consequências para a saúde da mulher e autoriza os gestores da área de educação a realizar os gastos necessários para o atendimento da medida.

Bolsonaro vetou medida que tinha como objetivo combater a precariedade menstrual, que afeta mais de 5 milhões de meninas e mulheres no Brasil

Que não tem como comprar esse item básico de higiene e saúde

Isso as vezes gerava constrangimento da menina ir pra escola e arriscar, bem como de nem mesmo ir pra escola ou faculdade por não ter como comprar o item.

Relatório do Unicef que usou dados do IBGE mostra que 1 a cada 4 adolescentes brasileiras, já deixaram de ir à escola por não terem absorvente higiênico e improvisam com panos, jornal, filtros de café e até mesmo miolo de pão para estancar o fluxo menstrual.

Vetar a distribuição de absorventes para mulheres em situação de vulnerabilidade, ultrapassa qualquer nível de crueldadade. Enquanto políticos colocam seus luxos na conta do governo (que o povo paga). Isso vai além de ser um político ruim ou machista. É desumano simplesmente.

O cara veta absorvente para mulheres pobres. O cara libera arma, veneno, desmatamento, off-shore etc, pelos interesses dos seus. Quando alguém citar um governante perverso no futuro, lembrará do atual presidente do Brasil.

Comentários

Compartilhe com geral!
0Compartilhamentos

Sobre Marcus Pessoa

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e em meu blog escrevo sobre Cidades Inteligentes, Marketing Digital, Curiosidades do Amazonas, Manaus de Antigamente além de dar minhas opiniões e Pitacos sobre coisas do cotidiano que interferem diretamente na vida de todos.

Deixe uma Resposta

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

© Copyright 2013-2021, Todos os Direitos Reservados