Tag: Mobilidade Urbana

21fev

Ideias para Livre Circulação nas Calçadas

Este final de semana estive passando pela Avenida André Araújo e percebi uma intervenção bem bacana, porém, por nada criativa!

Observei que na frente de uma determinada empresa (Rede Amazônica), haviam colocado blocos de concreto para inibirem e impedirem que certos “motoristas” estacionassem nas calçadas. A atitude é digna de aplausos, afinal, essa cultura de estacionar nas calçadas é COMPLETAMENTE SEM NOÇÃO! Além de atrapalhar o trânsito, impossibilita a livre circulação de pedestres tirando um dos nossos direitos constitucionais: O direito de ir e vir.

Aliás, as denúncias sobre carros estacionados nas calçadas devem ser feitas ao Manaustrans pelo telefone 0800 092 1188, disponível 24h à população, mas isso é um outro assunto.

Voltando ao ponto de partida, minha dúvida é: Mas precisava mesmo serem BLOCOS DE CONCRETO?

Blocos de concreto na Avenida André Araújo. foto: Marcus Pessoa

Blocos de concreto na Avenida André Araújo. foto: Marcus Pessoa

Leia Mais »

21ago

Traffic Calming – Estratégias para Acalmar o Trânsito

A Avenida Torquato Tapajós voltou a ser chamada de “Avenida da Morte”. A população amazonense está cada dia mais temerosa quanto aos riscos diários e perigos no trânsito.
Casos de acidentes com vítimas fatais estão cada vez mais comuns principalmente em avenidas com intenso fluxo de veículos.

Só nesse mês de agosto já presenciamos diversos acidentes pesados apenas na Torquato Tapajós, principal corredor de acesso às rodovias BR-174 (Manaus-Boa Vista) e AM-010 (Manaus-Itacoatiara). Tivemos a vida de 4 jovens encurtadas: Heveni dos Santos Lopes, 24; Beatriz Souza, 14 e o irmão Mateus Páscoa, 8; e há alguns dias a Renata Lobato, de 23 anos.

Segundo os agentes de trânsito, muitos desses acidentes foram ocasionados pelo motivo dos condutores dos veículos provavelmente estarem em alta velocidade.

Alta velocidade / Divulgação

Ok. Concordo! Mas, acredito que isso vai além. Que tal falarmos sobre os recapeamentos feitos nas principais avenidas? A Prefeitura de Manaus está desde o inicio do ano revitalizando os corredores viários e todos estamos acompanhando, mas não é possível que não estejamos percebendo a quantidade excessiva de calombos nas ruas! Essas elevações somadas com o excesso de velocidade e a desatenção dos condutores são razões suficientes para termos um quadro de horror!

E como poderíamos combater essa pressa toda? Seria necessário encher de radares pelas avenidas como questionou uma repórter televisiva ao presidente-diretor do DETRAN/AM e ao presidente-diretor do MANAUSTRANS?

A solução criativa que muitos países europeus adotam e várias cidades brasileiras já estão adotando chama-se Traffic Calming. Quem sabe não fosse a hora de nós nos atentarmos para essa iniciativa e aplicarmos aqui no Amazonas também? Creio que é muito mais beneficente para a população inteira, do que sair distribuindo multas!

De acordo com o Manual de Segurança Viária publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2008, os pedestres, ciclistas e motociclistas são agentes vulneráveis e têm suas chances de sobrevivência reduzidas quando são atropelados ou colidem com um carro em velocidade igual ou superior a 50 km/h. Já as chances de sobrevivência aumentam se o veículo trafega a menos de 30 km/h.

Uma alternativa para reduzir o limite de velocidade utilizada nas vias da Alemanha, Estados Unidos, Canadá, Bélgica, Holanda e Reino Unido e que traz bons resultados, é a implantação do traffic calming, um conjunto de medidas que inclui a adaptação do volume, velocidade e comportamento do tráfego, para que as ruas sirvam a todos e não apenas aos carros.

Reduzir a velocidade dos carros pode incentivar pedestres e ciclistas a se deslocarem, esse é o principal motivo para diversas cidades estarem utilizando o Traffic Calming.

Ao invés de aplicar multa na população, porque não trabalham de forma efetiva? É o que mais me questiono. Talvez, seja a hora de termos uma cidade inteligente e que priorize a vida.

O Traffic Calming tem sido visto como uma das possibilidades de enfrentar tais problemas de maneira eficiente. O Traffic Calming surgiu no fim dos anos 60, quando os moradores de uma pequena cidade na Holanda decidiram reduzir o fluxo de veículos, tornando as ruas lugares de convivência entre ciclistas, pedestres e veículos. Depois, o sistema foi adotado em outros países europeus e nos Estados Unidos, com desenvolvimento de ações como estreitamento de vias, faixa elevada para travessia de pedestres, chicanes (curvas artificiais), pavimento de alerta diferenciado com cor e/ou material, rotatórias e sinalização específica.

As lombadas do tipo traffic calming construídas recentemente na cidade de Muriaé - MG fonte: Gazeta de Muriaé

As lombadas do tipo traffic calming construídas recentemente na cidade de Muriaé – MG fonte: Gazeta de Muriaé

O Traffic Calming é uma estratégia que poderia perfeitamente ser utilizada em Manaus, afinal de contas se designa a aplicação através de engenharia de tráfego, de regulamentação e de medidas físicas, desenvolvidas para controlar a velocidade e induzir os motoristas a um modo de dirigir mais apropriado à segurança e ao meio ambiente. Além disso, podem ser empregados rapidamente.

Agentes de trânsito sinalizam os pedestres que desejam atravessar com bandeiras de cor de alta visibilidade (laranja, amarelo, fucsia..)

Agentes de trânsito sinalizam os pedestres que desejam atravessar com bandeiras de cor de alta visibilidade (laranja, amarelo, fucsia..)

Os materiais para pavimentação são de cores e texturas diferenciadas; o mobiliário urbano, a vegetação e o paisagismo são utilizados para valorizar a paisagem e a identidade cultural.

A Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) começou a implantar travessias elevadas de pedestres (traffic calming) na Avenida Presidente Itamar Franco (antiga Independência). O equipamento, que consiste em uma lombada transversal de coloração diferenciada, tem os objetivos de facilitar e dar mais segurança à travessia de pedestres, sobretudo aqueles com limitações de locomoção, bem como inibir o excesso de velocidade dos veículos. Fonte : Prefeitura de Juiz de Fora - MG

A Secretaria de Transporte e Trânsito (Settra) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) começou a implantar travessias elevadas de pedestres (traffic calming) na Avenida Presidente Itamar Franco (antiga Independência). O equipamento, que consiste em uma lombada transversal de coloração diferenciada, tem os objetivos de facilitar e dar mais segurança à travessia de pedestres, sobretudo aqueles com limitações de locomoção, bem como inibir o excesso de velocidade dos veículos. Fonte : Prefeitura de Juiz de Fora – MG

Além de acalmar o trânsito, esse tipo de inovação poderia aumentar a segurança e o bem-estar de outros usuários das estradas, especialmente os pedestres. Além disso, eles também podem fornecer um benefício enorme para os ciclistas, desde que feito corretamente.

Chicanes com ciclovias

Chicanes com ciclovias

Então, porquê não se adotar tais medidas para acalmar o tráfego de Manaus?

Primeiro, que Manaus precisaria ter uma política pública séria bem definida para a mobilidade humana, que valorize as pessoas e não os carros, o que seria inédito numa cidade engolida pelos veículos motorizados de todos os tipos, tamanhos, anos e modelos.

Depois, resta saber se o poder público está a fim ou tem de coragem de comprar a briga com os motoristas, deixando bem claro que as pessoas e os veículos não motorizados, especialmente as bicicletas, terão preferência e prioridade.

Questões de uso e ocupação do solo, mobiliário urbano, mudanças de engenharia de tráfego, ações preventivas e educativas de trânsito para uma nova cultura voltada para as pessoas e não para os veículos, tudo isso conta.

A minha parte termina aqui.

Espero que essas mortes não tenham sido em vão, e que algo seja feito com urgência. Peço que Deus os acolha em seu manto sagrado e que possa dar força para cada uma dessas famílias que têm seus filhos/as levados/as por acidentes de trânsitos.

21jul

Projeto de Ciclovia Boulevard-Ponta Negra em Manaus

Durante as eleições o até então candidato Artur Neto prometeu se eleito fosse 80km de ciclovia. No início do mês os projetos para os primeiros 14,6 quilômetros de ciclovia dos 80 prometidos começarão a ser construídos ainda este semestre. Pelo menos 20 quilômetros precisam estar prontos até dezembro para cumprir a determinação do prefeito Artur Neto para seu secretariado. A ciclovia que recebeu o nome de Boulevard-Ponta Negra começa no encontro das avenidas Duque de Caxias e Álvaro Botelho Maia, na Zona Centro-Sul, e passa por vias como a avenida Brasil e Coronel Teixeira até chegar à Marina do Davi, na Ponta Negra, Zona Oeste.
Leia Mais »

13jul

Entenda a diferença entre Ciclovia, ciclofaixa e ciclorrota

Cada vez mais percebemos a necessidade de reduzirmos os carros particulares e partirmos para um meio de transporte alternativo, ecoamigável, sustentável, saudável e barato. Vimos e assistimos a diversas pesquisas sobre como é muito melhor usar bicicleta ao invés de ônibus, ou como elas ocupam muito menos espaço, sem contar nos seus outros inúmeros benefícios.

Espaço que 60 pessoas ocupam no trânsito

Espaço que 60 pessoas ocupam no trânsito

Dessas diversas discussões, sempre falam na construção de ciclovias e ciclofaixas, mas também eu já ouvi (e li) até os termos “ciclorrota” (ou ciclo-rota) e espaço compartilhados… Mas qual é a diferença?

Leia Mais »

© Copyright 2013-2021, Todos os Direitos Reservados