Tag: História de Manaus

28set

A Praça da Saudade no seu traçado original

Um dos locais que mais carrega curiosidade em Manaus é a Praça da Saudade. Inaugurada no ano de 1865, e inicialmente conhecida como “Largo da Saudade”, a Praça da Saudade tinha seus limites desde o antigo cemitério velho chamado de São José (localizado onde atualmente é a sede do Atlético Rio Negro Clube) até o Instituto de Educação do Amazonas (local onde seria construído o palácio do governo do Amazonas, na gestão do Governador Eduardo Ribeiro).

Um outro fato curioso da praça é que na época do governo provincial do Presidente Francisco José Furtado em 1858, o cemitério foi cercado e a praça não passava de um largo com pouca arborização. Então em 1865, foi proposta pela Câmara Municipal de Manaus a construção da praça e a proposta de se oficializar o nome de praça da Saudade. O termo “Saudade” era referência ao cemitério, pois muitas pessoas iam para o Largo chorar pelos seus que haviam partido…

Praça da Saudade no seu traçado original

Leia Mais »

17ago

Curiosidades sobre a Praça do Congresso em Manaus

Uma das praças com mais história da capital Amazonense sem sombra de dúvidas é a Praça do Congresso (nome popular da praça Antônio Bittencourt). Basta saber que ela é um projeto daqueles que remonta ainda o tempo do Império do Brasil (1822-1889). À época, o logradouro público foi chamado de Largo do Paiçandu – homenagem ao território uruguaio tomado em 1865.

Outro ponto importante, é lembrarmos sempre que o local que hoje temos a Avenida Eduardo Ribeiro, próximo à Avenida 7 de Setembro, era tudo um grande igarapé chamado Igarapé do Espírito Santo.  Com o aterro e o desaparecimento do Igarapé do Espírito Santo, abriram-se ruas e loteamentos, formando na parte final da região,o jardim do Palácio Novo.

Praça do Congresso em Cartão Postal

Leia Mais »

21jul

Saiba qual era a cor original do Teatro Amazonas e suas mudanças até a cor atual

Nem sempre temos uma verdade absoluta. Nem tudo que vemos é ou sempre foi assim. O largo São Sebastião é um exemplo clássico do que há muitos anos atrás durante o mestrado conheci como “disneyficação das cidades“. A disneyficação seria a busca frenética, por “novas oportunidades” para as cidades, de modo que o espaço público abdique do seu papel fundacional, enquanto lugar de relação, de convivência e de troca de informação, para se assumir como um palco de eventos e fantasias.

A sua própria identidade é posta em risco, com a construção de monumentos artificiais, ou no caso do Largo, todo remodelado para parecer como se fosse originário, sendo que todos vimos o quanto o local estava abandonado e tomado por drogados, prostitutas e travestis, mas que hoje, graças a recuperação e ação política está revitalizado e serve a população.

Tenho minhas críticas sobre a disneyficação, mas nesse post específico, falarei sobre a cor do Teatro Amazonas e suas mudanças ao longo do século, até porque esse é um assunto que até hoje gera dúvida, qual é a verdadeira cor da fachada do Teatro Amazonas na sua inauguração e por que se mudou? E com a última reforma por que tem aquela cor dourada no fundo das letras e por que as escritas estão em azul? Mas as letras não eram brancas?

Para a inauguração do Teatro Amazonas, vieram da Europa famosas companhias teatrais.

Para a inauguração do Teatro Amazonas, vieram da Europa famosas companhias teatrais.

Leia Mais »

9jan

The Manaos Tramways

Segue uma galeria de imagens históricas do bonde de Manaus, The Manaos Tramways.
As fotos infelizmente não estão em ordem cronológica e também não possuem os fotógrafos identificados, irei fazer um levantamento preciso de modo a termos mais essa informação pra apreciarmos.

Leia Mais »

15maio

Conheça a história do Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Manaus

O Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Manaus, está localizado na Rua Japurá, em um dos mais tradicionais bairros da capital amazonense, o bairro da Praça 14 de Janeiro, zona sul de Manaus. Desde a fundação do bairro, os moradores do bairro da Praça 14 são muitos católicos e festeiros, tanto que ao lado do santuário, existe o barracão da Escola de Samba Vitória Régia, com samba de janeiro a janeiro, porém, os tambores somente começam a animar a população local depois da santa missa, claro.

Conheça a história do Santuário de Nossa Senhora de Fátima em Manaus / Colagem: Marcus Pessoa

Leia Mais »

7set

Lugares que o dia não me deixa ver : Casarão da Ferreira Pena c/ a Monsenhor Coutinho

Nesta segunda feira o projeto “Lugares que o dia não me deixa ver”, idealizado pelo Ponto de Cultura Casarão de Ideias trará a luz 3 pontos de nossa cidade.

O projeto ‘Lugares que o dia não me deixa ver’, faz um alerta de preservação do patrimônio histórico local por meio da dança, do teatro e de uma iluminação especial. O evento tentava despertar o interesse dos amazonenses para os espaços públicos.

O projeto ‘Lugares que o dia não me deixa ver’, faz um alerta de preservação do patrimônio histórico local por meio da dança, do teatro e de uma iluminação especial. O evento tentava despertar o interesse dos amazonenses para os espaços públicos.

Leia Mais »

2set

Represa da Cachoeira Grande em Manaus

A Represa da Cachoeira Grande foi inaugurada em 1888, com uma represa de 105 metros de comprimento – a água era cristalina e potável. Desaguam por lá vários igarapés, sendo principais os Igarapés do Mindú e dos Franceses, outrora, todos serviam de balneários para os manauenses se refrescarem nas tardes quentes de verão amazônico.

Essa é a imagem da usina hidrelétrica da Cachoeira Grande, uma das primeiras do País.

Essa é a imagem da usina hidrelétrica da Cachoeira Grande, uma das primeiras do País.

Leia Mais »

© Copyright 2013-2021, Todos os Direitos Reservados