Que fim levou o ‘Monstro da Colina’, o estripador que assombrou Manaus nos anos 70? - Marcus Pessoa
26dez

Que fim levou o ‘Monstro da Colina’, o estripador que assombrou Manaus nos anos 70?

Compartilhe com os amigos!
823Compartilhamentos

O que será que aconteceu com o estripador que apavorou Manaus nos anos 70 e 80? O rapaz era tão perigoso que ficou conhecido como “o Monstro da Colina”. Seu nome? Wallace Barreto de Oliveira que aos 19 anos entrou na casa de um pré-adolescente de 14 anos chamado Carlos Andrade de Oliveira, conhecido pelos seus amigos como “Carlinhos”.

Carlinhos morava na Rua 5 de Setembro, no bairro de São Raimundo, zona Oeste de Manaus, próximo ao estádio da Colina.

Uma observação rápida antes de prosseguirmos, o estádio do São Raimundo é conhecido como “Estádio da Colina”, por encontrar-se no alto de uma colina natural que divide os bairros de São Raimundo, Santo Antônio e Glória.

O caso do ‘Monstro da Colina’, é um dos mais brutais assassinatos acontecido em Manaus de Antigamente. O crime ocorreu em 14 de novembro de 1976, ou seja, já tem 43 anos!

Rua 5 de Setembro, no bairro de São Raimundo / Reprodução Google Maps

O crime chocou a cidade pois o Carlinhos foi morto com requintes de crueldade e naquela época Manaus era uma cidade muito pacata, apesar de esporadicamente ter um ou outro assassino sanguinário como este. O assassino confesso, Wallace Barreto, estuprou, esquartejou e ainda jogou as partes do corpo do Carlinhos dentro de um vaso sanitário, pior do que isso, o assassino ainda compareceu ao enterro do menino!

O autor de tal brutalidade, foi identificado depois como um suposto homossexual que era apaixonado pelo jovem, mas o mesmo não aceitava suas investidas e tomado “por uma fúria de amor doentio” fez o que fez. Depois dele ter confessado o crime, ele passou a ser chamado de “Monstro da Colina”.

Naquela noite de  14 de novembro, Wallace invadiu a residência de Carlos, indo diretamente ao seu quarto. Infelizmente os pais do menino estavam foram de casa naquela noite, o que permitiu que Wallace tivesse ameaçado Carlinhos com uma faca e o estuprado. Antes de matá-lo, ele insistiu novamente nas suas propostas, porém, Carlinhos negou todas, foi então que enfurecido Wallace lhe golpeou mortalmente com uma facada na nuca. Depois, lhe estripou e decepou seu pênis, eliminando o corpo sem vida do menino em uma fossa na parte de trás da casa.

Todos foram à caça do assassino do Carlinhos até que ele foi capturado pelos familiares do Carlinhos e ao invés de fazerem justiça com as próprias mãos, entregaram-o à polícia. Wallace passou por um longo processo judicial, com duração de pouco mais de quatro anos, sendo condenado a 23 anos de prisão. Deu depoimentos, mas começou a afirmar que não matou o menor, sendo responsáveis pelo crime membros de uma quadrilha de traficantes de drogas, que também vitimou três taxistas, no caso conhecido como “Varadouro da Morte”.

A partir dessa primeira prisão, a sociedade manauara pensaria que teria paz e pelo contrário, foi constantemente assombrado pelas fugas do Monstro.

Um mês após a condenação, segundo consta no Jornal do Comércio de 29 de julho de 1980, escapou da penitenciária em 28 de julho de 1980, junto de seu companheiro, o arrombador Admilton Silva Pereira, atravessando a Praça 14 de Janeiro. A notícia de sua fuga causou pânico na cidade, com a polícia alertando sobre o grau de periculosidade desse fugitivo.

Wallace foi recapturado em 01 de agosto de 1980, no bairro de Santo Agostinho, junto de seu companheiro e também fugitivo Admilton Silva Pereira. Ambos confessaram à polícia que pagaram agentes penitenciários para terem a fuga facilitada.

Classificado como “doente” mental, recebeu a liberdade condicional, passando a trabalhar no Tribunal do Júri Popular, de onde empreendeu nova fuga em 1984. Sem dinheiro, passou praticar assaltos, roubando uma máquina de datilografia da SECOM (Secretaria de Comunicação), no Aleixo. Foi recapturado com mais 17 criminosos. Tentou alegar sua doença mental, mas novos exames médicos atestavam que ele era um indivíduo são. Em 1985, fugiu outra vez da Penitenciária, formando uma gangue de menores que arrombou o Palácio da Justiça.

Capturado e levado para a Penitenciária Agrícola Anísio Jobim, passou a mostrar bom comportamento, recebendo um indulto do presidente da República no dia 01 de abril de 1985. Foi preso novamente em 1986, acusado de roubo. Já estava com 29 anos. Wallace Barreto parou de ser noticiado em 1986.

Se o monstro estiver vivo, hoje ele está com 63 anos de idade. Óbvio que pode ter virado outra pessoa e que esse passado sombrio possa ter ficado para trás, ou não, ou seja uma pessoa idosa extremamente vingativa que tenta domar o monstro que tem dentro de si. Quem tiver algo a acrescentar sobre o crime, o paradeiro do assassino ou outras versões, pode ficar a vontade para comentar. Todos os comentários são valiosos.

Monstro da Colina

Wallace Barreto de Oliveira, de 19 anos, que depois do crime passou a ser chamado de “Monstro da Colina”. / Divulgação

*Texto: Fábio Augusto de C. Pedrosa e Marcus Pessoa

Compartilhe com os amigos!
823Compartilhamentos

Sobre Marcus Pessoa

Sou o idealizador do No Amazonas é Assim. Em meu blog escrevo sobre Marketing Digital, Conteúdos Criativos, Empreendedorismo, Manaus de Antigamente além de dar minhas opiniões sobre Política e outras coisas mais.
Comentários
© Copyright 2013-2020, Todos os Direitos Reservados