Memórias do Amazonas 2 - Marcus Pessoa

Memórias do Amazonas

10Maio

Resgate histórico em vídeos e fotos da edificação que virou as Ruínas de Paricatuba em Iranduba

Neste final de semana estive visitando as Ruínas Históricas de Paricatuba, localizada dentro da Vila de Paricatuba, no município de Iranduba, distante a 25 km de Manaus e agora vou mostrar pra vocês um pouco sobre como foi.

A construção deste suntuoso prédio teve início em 1898, a cargo do governo do Estado do Amazonas, para servir como uma grande hospedaria para imigrantes italianos que viriam da Itália para trabalhar no nosso Estado – era um prédio imponente que só.

A história da edificação que virou as Ruínas de Paricatuba em Iranduba

A história da edificação que virou as Ruínas de Paricatuba em Iranduba / Arte -Marcus Pessoa

Leia mais »

9Maio

Prepare-se para se surpreender com as Ruínas de Paricatuba

Este final de semana estive visitando e apresentando as Ruínas Históricas de Paricatuba localizada na Vila de Paricatuba, no município de Iranduba (a 25 km de Manaus).

Dessa vez, me surpreendi ao entrar na edificação, quando um senhor sentado em uma barraca na porta, saltou, nos cumprimentou e disse que se fôssemos entrar para fotografar, teríamos que pagar.

Tratava-se de um jovem senhor de nome Sérgio, que se intitula Presidente da Vila de Paricatuba, e segundo ele, ele está com aval da Prefeitura Municipal de Iranduba e da Secretaria de Turismo da cidade.

Ruínas de Paricatuba / Foto : José Hilton

Leia mais »

23ago

Conheça a história do bairro Praça 14 de Janeiro em Manaus

A história da Praça 14 está intrinsecamente ligada à Revolução de 14 de janeiro de 1892, quando um grupo de revolucionários liderado por Almino Álvares Affonso, Leonardo Malcher e Lima Bacuri tentou tirar do poder o governador da época Thaumaturgo de Azevêdo, cujo principal motivo era a insatisfação popular, deveu-se ao fracasso da administração estadual, provocada pelo atraso do funcionalismo e fornecedores, dessa forma provocando uma grave crise que culminou com um rompimento até mesmo com o governo federal.

Jaqueirão

Jaqueirão

Leia mais »

7ago

O Café-Bar mais tradicional de Manaus : O Café do Pina

Situado na Praça da Polícia, o Café do Pina é um dos bares e cafés mais tradicionais da cidade, e possui até uma confraria. O Café do Pina foi inaugurado em 03/05/1951 e tradicionalmente faz parte da história de Manaus. Nos primórdios, o Café do Pina ou Pavilhão São Jorge, estava localizado originalmente ao lado do Quartel da Polícia Militar, na praça Heliodoro Balbi.

Pavilhão São Jorge ou Café do Pina, 1976

Pavilhão São Jorge ou Café do Pina, 1976

Leia mais »

5ago

Local onde funcionava a Fundação Villa Lobos em Manaus

Visitei o local que funcionava a Fundação Villa Lobos durante a gestão do Serafim Corrêa e onde implantaram a Orquestra Sinfônica de Manaus. O espaço tinha vida, tinha alegria. Aquele espaço foi entregue à administração do Amazonino Mendes em perfeitas condições.

O novo prefeito acabou com a Orquestra e abandonou o local. O prefeito Arthur Neto, por sua vez, nunca fez nenhum tipo de esforço para ocupar o espaço, mesmo sabendo que existia uma excelente infraestrutura.

Houve saque total. Levaram tudo: instrumentos, partituras, aparelhos de ar condicionado, o prédio foi saqueado e hoje é um ponto de encontro de viciados e um sanitário público. Até a placa de bronze da inauguração com os nomes de Alvaro e Antonio Maia foi roubada.

Com a intenção de destruir obras do Serafim Corrêa, Amazonino Mendes transformou a sede da extinta Fundação Villa Lobos, no bairro Parque 10 de Novembro, Zona Centro-Sul, num criadouro de dengue.

Local onde funcionava a Fundação Villa Lobos em Manaus / Foto : Reprodução Google Earth

Local onde funcionava a Fundação Villa Lobos em Manaus / Foto : Reprodução Google Earth

Leia mais »

4ago

Legado da administração municipal de Serafim Corrêa

Utilizando e atualizando trecho da publicação do blog O Malfazejo, inicio essa publicação sobre o legado da administração municipal de Serafim Corrêa.

A verdade é que, pela lógica e pela história política do Amazonas, Serafim Corrêa ocupou por quatro anos uma cadeira que não deveria ser sua. Como pode um homem que paga seu almoço do próprio bolso ser o prefeito dessa cidade? Como pode um homem que tem endereço fixo e sabido ser o prefeito de Manaus? Como pode um homem sem empreiteiras, gráficas, um homem sem concessionárias e sem locadoras ser o prefeito de Manaus?

Imagine, a tomar pela ausência de escândalos de corrupção na administração Serafim, a quantidade de gente que amargou vacas magras por quatro anos. A vitória de Serafim em 2004, além de tudo o que representou para tanta gente que não negocia com ladrão (sim, ainda há gente assim), pode ter materializado a fábula da cigarra e da formiga. Com esta entressafra de quatro anos, muita gente precisou deixar de ser cigarra e aprendeu a ser abelha, digo, formiga. Ainda que essa gente tenha voltado a circular pelas folhas de pagamento e pelo Diário Oficial do município a partir de 2009, terão aprendido uma valiosa missão: a de guardar comida para eventuais novos invernos, invernos inesperados como Serafim Corrêa.

Legado da administração municipal de Serafim Corrêa

Legado da administração municipal de Serafim Corrêa

Leia mais »

23jul

Como chegar nas Ruínas da Represa e Estação de Bombeamento de Águas da Cachoeira Grande

Em novembro de 2013, decidi convocar meu amigo Edlucio Castro para a seguinte missão: Visitar as Ruínas da Represa da Cachoeira Grande, no bairro São Jorge em Manaus.

A Represa e Estação de Bombeamento de Águas da Cachoeira Grande foi inaugurada em 1888, com 105 metros de comprimento.

As fotografias antigas mostram como era bonito o local. O progresso desenfreado e a insensibilidade das pessoas acabaram com tudo, o igarapé virou um esgoto a céu aberto – o que restou do empreendimento foram as ruínas do imponente prédio, no estilo medieval.

O passado dessa obra magnífica pode nos ensinar como não construir o futuro. Nesse post, eu ( Marcus Pessoa), lhes guio até o encontro deste magnífico prédio! As fotografias ficaram por conta do Edlucio Castro.

Represa da Cachoeira Grande em Manaus

Represa da Cachoeira Grande em Manaus

Leia mais »

21jul

História da Santa Casa de Misericórdia em Manaus

A Santa Casa de Misericórdia de Manaus, faz parte da historia de muitos amazonenses. Muita gente nasceu naquele prédio, que hoje está destruído. A deterioração é perceptível desde a porta de entrada, pichada e com vidros quebrados. O local também é alvo de constantes saques e depredações. A polícia já registrou encontro de cadáveres nas proximidades e até mesmo dentro do prédio

Santa Casa de Misericórdia como é durante o dia

Santa Casa de Misericórdia como é durante o dia em 2013

Leia mais »

19jul

Um breve histórico sobre os boi bumbás de Manaus

Em primeiro plano, o boi de fugida do bumbá Tira Prosa, no fundo o boi original

Em primeiro plano, o boi de fugida do bumbá Tira Prosa, no fundo o boi original

O momento mais aguardado da brincadeira do boi-bumbá, entretanto, acontecia depois do período junino, às vezes no começo de agosto: a “fugida” do boi. Para essa parte final da festança, era providenciada uma réplica do boi original, mais pobre e mais tosca. O bumbá “fugia” do curral em uma noite de sábado.

No domingo pela manhã, os vaqueiros saíam do curral em busca do boi fujão. Dois ou três miolos se revezavam na fuga para não dar vida mansa aos vaqueiros, que precisavam obrigatoriamente prender o boi fujão pelo laço. A criançada, evidentemente, torcia pelo boi. E haja correria desenfreada do bumbá pelas ruas dos bairros, freadas bruscas, avanços, recuos, com o boi se desviando milagrosamente o tempo todo dos laços jogados pelos vaqueiros. Leia mais »

12jul

A Curva da Morte no bairro da Cachoeirinha em Manaus

O cruzamento das ruas Waupés e Ipixuna ganhou o nome de “Curva da Morte” nos anos 60 por ser uma curva extremamente fechada e de péssima pavimentação, que não oferecia boa visibilidade aos motoristas.

O trecho da Waupés (hoje conhecida como Av. Presidnte Castelo Branco) entre a Ipixuna e a Silves era entrecortado por vários igarapés, de forma que necessariamente os motoristas que vinham pela Waupés eram obrigados a dobrar à direita, na Ipixuna, para alcançarem o resto do bairro da Cachoeirinha.

A Curva da Morte no bairro da Cachoeirinha em Manaus

A Curva da Morte no bairro da Cachoeirinha em Manaus

Leia mais »

© Copyright 2013-2020, Todos os Direitos Reservados