Artista faz pintura no próprio rosto e faz sucesso nas redes sociais

A artista Laura Jenkinson  é especialista em cabelo e maquiagem. Laura teve a ideia de utilizar o batom e pintura  de rosto de forma inusitada e ao mesmo tempo criativo.

Laura transforma seus lábios em personagens conhecidos de desenhos, filmes e até jogos e faz o maior sucesso na rede social

Arnold

Arnold

“I love people” é um vídeo sensacional de um cara que viajou mais de 8 mil km

“I love people” é um vídeo sensacional de um cara que viajou mais de 8 mil quilômetros e conheceu centenas de pessoas.

Nós adoramos vídeos de viagens e Benjamin Jenks é um cara pra lá de criativo enquanto viajante. Após percorrer 8.046 km e fazer 3 mil fotos com 930 pessoas que conheceu pelo caminho, ele fez um vídeo sensacional de 162 segundos para seu site Adventure Sauce.

O que é uma cidade criativa

Atualmente o tema tem entrado “na moda”, e é bom mesmo que a população passe a prestar mais atenção sobre iniciativas que transformam o cenário urbano e o deixa melhor para todos.

Uma cidade criativa é aquela capaz de comportar certa desordem e irregularidades enquanto renova seus padrões e inventa outras práticas de convivência. A definição foi apresentada por Anamaria Wills, executiva dedicada à produção cultural com atuação em diversos países.

Existe também um livro muito interessante da Elsa Vivant sobre o tema.

O Que É Uma Cidade Criativa?  Este livro traz uma discussão sobre a teoria das cidades criativas que vem incendiando os debates urbanísticos do mundo todo. Elsa Vivant aponta os paradoxos e as limitações que permeiam as teorias em torno desse tema, questionando até que ponto a reversão da decadência econômica das cidades tradicionais dependerá apenas da capacidade de elas atraírem e ampliarem a presença das chamadas classes criativas, oferecendo-lhes, em contrapartida, ambientes sociais e culturais mais estimulantes, dinâmicos e abertos à diversidade.

O Que É Uma Cidade Criativa?
Este livro traz uma discussão sobre a teoria das cidades criativas que vem incendiando os debates urbanísticos do mundo todo. Elsa Vivant aponta os paradoxos e as limitações que permeiam as teorias em torno desse tema, questionando até que ponto a reversão da decadência econômica das cidades tradicionais dependerá apenas da capacidade de elas atraírem e ampliarem a presença das chamadas classes criativas, oferecendo-lhes, em contrapartida, ambientes sociais e culturais mais estimulantes, dinâmicos e abertos à diversidade.

Cidades Criativas são espaços urbanos onde a articulação eficiente entre atividades sociais e artísticas, industrias culturais e governo foi capaz de produzir uma efervescência cultural que desenvolve, atrai e retem talentos, promove diversidade social, aumenta a oferta de empregos, gera maior conhecimento entre cidadãos, aumenta o potencial criativo de empresas e instituições, atrai mais turistas e, assim, contribui significativamente para a economia da cidade e qualidade de vida de seus cidadãos.

Os projetos devem sempre obedecer e observar as singularidades locais.  Foi o que aplicou, por exemplo, o governo francês, ao estimular alternativas para o transporte e o acesso à cidade. Empresas que financiarem as despesas dos funcionários que adotam a bicicleta como meio de transporte serão recompensadas com isenções – sistema semelhante já é desenvolvido na vizinha Bélgica. Lá paga-se 21 centavos de euro por quilômetro rodado.

Os ganhos são com a saúde e o bem-estar, além de fazer a diferença nas finanças do país: de acordo com o ministro dos transportes francês, Thierry Mariani, 5,6 bilhões de euros são economizados ao se utilizar a bicicleta como meio de transporte. Isso sem falar na redução dos gases poluentes. Outras medidas para melhorar a qualidade da circulação como reformas na engenharia do trânsito, a expansão das ciclovias e o combate ao roubo de bicicletas também estão sendo avaliadas.

A doutora em urbanismo Ana Carla Fonseca constatou três características comuns às comunidades que se pretendem criativas, independente de sua escala, história ou situação econômica: “inovações, cultura e as conexões entre público e privado, entre local e global formam o tripé de uma cidade na qual a criatividade é vista como fator diferencial”.

Artes nas Unhas Tematica Super Mario

O jogo Super Mario Bros. é sem dúvida um dos melhores jogos eletrônico já lançado pela Nintendo. Sua história inicia em 1985. Considerado um clássico, Super Mario Bros. foi um dos primeiros jogos de plataforma com rolagem lateral, recurso conhecido em inglês como side-scrolling.


O jogo é o mais vendido de toda a história dos videogames (contando-se aí os jogos vendidos junto com os consoles) com mais de 40 milhões de cópias e foi o principal responsável pelo sucesso inicial do console NES (Famicom, no Japão). O jogo inspirou incontáveis imitações que ajudaram a fixar o estilo de jogos de plataforma. Foi o primeiro sucesso do designer de jogos japonês Shigeru Miyamoto.

Em 2011, o título foi incluído no pacote de 20 jogos do programa de “embaixadores” do Nintendo 3DS, que permitiu àqueles que tinham comprado o portátil antes do corte do preço baixarem o jogo gratuitamente. Foi disponibilizado para venda ao público geral do portátil em 2012.

Dito isto,  resolvi investigar na internet (lê-se google images) diversas unhas criativas com a tematica do super mario, assim você pode espalhar nas redes sociais e até mesmo pintar suas unhas desta maneira.