Quanto cobrar para fazer a gestão de mídias sociais enquanto freelancer?

Durante as últimas semanas tenho me focado na questão da cobrança dos freelancers aos clientes. Não que seja um tema novo para mim, mas sim porque muitos leitores do blog (mas mesmo muitos) têm perguntado constantemente quanto devem cobrar pelos seus serviços. Então, decidi criar aqui uma sequência interessante de posts de forma a que possa retirar as dúvidas nas mais variadas áreas de negócio.  Hoje vou me focar em outra área que também tenho vindo a ter bastante experiência durante os últimos meses: a gestão de mídias sociais enquanto freelancer.

Quanto cobrar para fazer a gestão de mídias sociais enquanto freelancer?

Quanto cobrar para fazer a gestão de mídias sociais enquanto freelancer?

Gerir mídias sociais significa saber trabalhar de forma muito profissional com vários sites ao mesmo tempo: Facebook, Twitter, LinkedIn, Google Plus, Pinterest, Instagram, etc. Apesar de serem semelhantes entre si em alguns aspetos, estas redes sociais têm pormenores que acabam por torná-las bastante diferentes. Por norma, esse tipo de trabalho é deixado “para o sobrinho”. Os donos das empresas normalmente estão convencidos que se têm um familiar que sabe trabalhar com Facebook ele também saberá gerir a Fan Page do seu negócio. Afinal, ele apenas precisa de “praticar um pouco”. (In)felizmente não é bem assim. O profissional de marketing digital necessita de saber criar o seu público-alvo, saber mensurar as estatísticas, saber transformar os fãs/seguidores em compradores, responder às críticas dos clientes, etc. Atualmente muitos se denominam de “gestores de mídias sociais”, mas pouco mais sabem fazer do que partilhar imagens no Facebook.

POR ONDE COMEÇAR?

Partindo do pressuposto que você já sabe gerir redes sociais (tirou um curso, leu livros e juntou isso a alguma experiência prática) chegou o momento de começar a pensar em conseguir clientes. Eu considero que o primeiro cliente é sempre aquele mais difícil. Depois de você conseguir resultados, os clientes acabam por vir naturalmente. Mas se você está com dificuldades em conseguir o seu primeiro projeto, considere dar uma olhada no nosso post sobre como conseguir o primeiro cliente. Depois disso, terá de criar um portfólio ou quem sabe fazer cartões de visita. Outra alternativa é fazer apresentações gratuitas tentando depois conseguir clientes que pretendam contratar o seu trabalho para a gestão das redes sociais.

QUAL A SUA EXPERIÊNCIA?

Se em algumas áreas a experiência é importante, na gestão de redes sociais essa experiência é ainda mais determinante. Você pode ler quantos livros quiser mas na prática é que irá sentir “o peso” do público-alvo de cada empresa. As redes sociais têm este “pequeno problema”: cada empresa tem um público-alvo diferente e cada público-alvo reage de uma maneira diferente às suas publicações. Enquanto que na escrita de um texto você não necessita de fazer grandes adaptações, nas redes sociais isso já não acontece. Por este motivo, a sua experiência terá um peso determinante na hora de saber quanto cobrar a cada cliente.

Ebook - Ser Freelancer

QUAL O PREÇO A COBRAR PARA A GESTÃO DAS REDES SOCIAIS?

Em primeiro lugar, é necessário realçar que a cobrança de redes sociais não é um trabalho barato. Desengane-se quem pensa que basta fazer algumas partilhas que o trabalho já está finalizado. Essa é apenas uma pequena parte. É necessário mensurar resultados, ser criativo e estar em constante contato com o cliente. Por norma, o preço no mercado só para fazer a gestão de uma rede social (na maior parte dos casos Facebook) jamais está abaixo dos 500 reais mensais . Quando o assunto é a gestão interligada de várias mídias sociais aí o preço dispara para os 800 a mil reais. Muitos clientes consideram este preço absurdo, mas vejamos:

  • É necessário estar praticamente todos os dias disponível para fazer algo nas redes sociais da empresa
  • É necessário responder a comentários e interagir com as pessoas
  • É necessário analisar dados e verificar que tipos de publicações se adequam melhor ao público-alvo da empresa
  • É necessário pensar em conjunto com o cliente, realizando reuniões de tempos a tempos
  • É necessário trocar de estratégia quando a definida inicialmente não está gerando bons resultados

Poderia ficar aqui o tempo todo falando do que o gestor de redes sociais necessita fazer além da simples publicação de posts mas estes pontos dão bem para ter a noção do que é necessário.

COBRAR POR POST OU POR MÊS?

Esta foi uma questão que me fizeram há algum e que penso ser comum a muitos profissionais desta área. Em primeiro lugar, é necessário definir com o cliente quantos posts irá fazer por dia. Deve fazer isso independentemente de alguns dias fazer uma ou duas publicações a mais do que o planejado. É necessário que o cliente tenha uma noção do trabalho que você vai realizar. Por isso, considero que cobrar por post não tem qualquer lógica, até porque em grande parte dos dias você deverá ultrapassar a quantidade de trabalho acertada inicialmente. O cliente deve pagar, sim, um valor mensal que inclui um mínimo de publicações diárias. Confuso? Vou dar um exemplo:

“Você pode fechar um acordo com o cliente evidenciando que vai postar 3 publicações por dia no Facebook, três no Twitter e uma no LinkedIn, por exemplo. Você ficará responsável por escolher o conteúdo e enviar para ele posteriormente. Você também ficará responsável por responder a comentários provenientes das redes socais. Para isso você irá cobrar o valor de 600 reais mensais (exemplo)”

Desta forma, ele sabe que você ficará disponível para qualquer trabalho nas redes sociais e evita o problema de ficar contabilizando quantos posts você fez naquele mês.

DICAS PARA SER BEM SUCEDIDO NA GESTÃO DE REDE SOCIAIS

Agora que você já tem ideia de quanto deve cobrar (se mesmo assim ainda estiver com dúvidas, por favor deixe um comentário no final do artigo), chegou o momento de passar para vocês um pouco da minha experiência pessoal enquanto gestor de mídias sociais. Estes são apenas alguns passos que aconselho que siga não só antes de começar a trabalhar com o cliente mas também durante o processo de gestão das redes sociais.

  • Marque uma reunião para perceber tudo: Existem algumas áreas de negócio em que não é fácil entender o que o público-alvo quer. Por isso ouvir o cliente é essencial nessas situações!
  • Não espere que o cliente perceba tudo no primeiro encontro! Se o cliente contratou os seus serviços é porque ele não percebe muito de redes sociais ou porque quer melhorar os seus resultados. Por isso é normal que ele não “aceite” tudo aquilo que você propõe.
  • Só faça o que você realmente perceber: Existem muitas redes sociais que você pode trabalhar. Porém, é normal que você não saiba trabalhar corretamente com todas elas. Se não se sentir à vontade para desempenhar esse papel, seja sincero com o seu cliente (eu, por exemplo, atualmente me recuso a trabalhar com Pinterest ou Instagram).
  • Faça uma planilha no Excel: Para evitar futuras confusões com o seu cliente, é necessário deixar tudo escrito. Aconselho que faça uma planilha no Excel e que lá aponte tudo aquilo que você vai fazer. Deixe esse documento partilhado para todos no Google Docs, por exemplo.
  • Nos primeiros meses troque constantes feedbacks com o cliente: Mais do que conseguir bons números, você precisa de agradar ao seu cliente. Por isso, durante os primeiros meses esteja em constante contato com ele.
  • Mantenha todo o trabalho na ordem programada: Quem trabalha com redes sociais sabe que todos os minutos são importantes. Existem publicações que se forem realizadas uma hora mais tarde não têm o mesmo impacto. Daí ser tão importante para o freelancer publicar na hora certa mas acima de tudo fazê-lo na hora que foi programada com o cliente!
  • Foque-se nos números: Os clientes querem números. Querem saber que a sua empresa está a crescer, se mais pessoas estão a ver aquilo que eles publicam. Apesar de ter de manter o foco na qualidade, é importante que também mostre crescimento.
  • Ajude o seu cliente a vender: Redes Sociais é algo muito bonito mas se não servir para vender…de pouco serve. Além de ganhar fãs, seguidores, etc, foque-se em ajudar o seu cliente a vender um pouco mais.

CONCLUSÃO

Definir os preços para a gestão de redes sociais não é algo do outro mundo. Considero que a decisão final se resume a dois fatores: experiência e quantidade de trabalho. Consoante estes dois pontos, você pode definir o preço. Mas acima de tudo, só comece a gerir redes sociais se você realmente se sente à vontade com isso. Não é porque você tem uma página de Facebook com milhares de fãs que já percebe de gestão de redes sociais em empresas. Gerir uma marca vai muito além do número. Gerir uma marca é transmitir uma ideia, espalhar um conceito e criar um bom relacionamento com o cliente. E isso jamais pode ser feito “pelo sobrinho que sabe brincar com o Facebook”.

E você, como definiu o seu preço? Quais são os valores que aconselha?

Abraço e até já!

fonte: Escola Freelancer

Comentários
Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedor, ambos pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.