Categoria Políticas Criativas

Projeto de Ciclovia Boulevard-Ponta Negra em Manaus

Durante as eleições o até então candidato Artur Neto prometeu se eleito fosse 80km de ciclovia. No início do mês os projetos para os primeiros 14,6 quilômetros de ciclovia dos 80 prometidos começarão a ser construídos ainda este semestre. Pelo menos 20 quilômetros precisam estar prontos até dezembro para cumprir a determinação do prefeito Artur Neto para seu secretariado. A ciclovia que recebeu o nome de Boulevard-Ponta Negra começa no encontro das avenidas Duque de Caxias e Álvaro Botelho Maia, na Zona Centro-Sul, e passa por vias como a avenida Brasil e Coronel Teixeira até chegar à Marina do Davi, na Ponta Negra, Zona Oeste.

O que é uma cidade criativa

Atualmente o tema tem entrado “na moda”, e é bom mesmo que a população passe a prestar mais atenção sobre iniciativas que transformam o cenário urbano e o deixa melhor para todos.

Uma cidade criativa é aquela capaz de comportar certa desordem e irregularidades enquanto renova seus padrões e inventa outras práticas de convivência. A definição foi apresentada por Anamaria Wills, executiva dedicada à produção cultural com atuação em diversos países.

Existe também um livro muito interessante da Elsa Vivant sobre o tema.

O Que É Uma Cidade Criativa?  Este livro traz uma discussão sobre a teoria das cidades criativas que vem incendiando os debates urbanísticos do mundo todo. Elsa Vivant aponta os paradoxos e as limitações que permeiam as teorias em torno desse tema, questionando até que ponto a reversão da decadência econômica das cidades tradicionais dependerá apenas da capacidade de elas atraírem e ampliarem a presença das chamadas classes criativas, oferecendo-lhes, em contrapartida, ambientes sociais e culturais mais estimulantes, dinâmicos e abertos à diversidade.

O Que É Uma Cidade Criativa?
Este livro traz uma discussão sobre a teoria das cidades criativas que vem incendiando os debates urbanísticos do mundo todo. Elsa Vivant aponta os paradoxos e as limitações que permeiam as teorias em torno desse tema, questionando até que ponto a reversão da decadência econômica das cidades tradicionais dependerá apenas da capacidade de elas atraírem e ampliarem a presença das chamadas classes criativas, oferecendo-lhes, em contrapartida, ambientes sociais e culturais mais estimulantes, dinâmicos e abertos à diversidade.

Cidades Criativas são espaços urbanos onde a articulação eficiente entre atividades sociais e artísticas, industrias culturais e governo foi capaz de produzir uma efervescência cultural que desenvolve, atrai e retem talentos, promove diversidade social, aumenta a oferta de empregos, gera maior conhecimento entre cidadãos, aumenta o potencial criativo de empresas e instituições, atrai mais turistas e, assim, contribui significativamente para a economia da cidade e qualidade de vida de seus cidadãos.

Os projetos devem sempre obedecer e observar as singularidades locais.  Foi o que aplicou, por exemplo, o governo francês, ao estimular alternativas para o transporte e o acesso à cidade. Empresas que financiarem as despesas dos funcionários que adotam a bicicleta como meio de transporte serão recompensadas com isenções – sistema semelhante já é desenvolvido na vizinha Bélgica. Lá paga-se 21 centavos de euro por quilômetro rodado.

Os ganhos são com a saúde e o bem-estar, além de fazer a diferença nas finanças do país: de acordo com o ministro dos transportes francês, Thierry Mariani, 5,6 bilhões de euros são economizados ao se utilizar a bicicleta como meio de transporte. Isso sem falar na redução dos gases poluentes. Outras medidas para melhorar a qualidade da circulação como reformas na engenharia do trânsito, a expansão das ciclovias e o combate ao roubo de bicicletas também estão sendo avaliadas.

A doutora em urbanismo Ana Carla Fonseca constatou três características comuns às comunidades que se pretendem criativas, independente de sua escala, história ou situação econômica: “inovações, cultura e as conexões entre público e privado, entre local e global formam o tripé de uma cidade na qual a criatividade é vista como fator diferencial”.

Você politicamente se posiciona de Esquerda ou Direita?

Com frequencia, quando nos referimos a ideologias políticas ouvimos os termos “eu sou de direita” ou “eu sou de esquerda“, mas o que representa cada um deles? Você é de direita ou de esquerda? Esse artigo tenta ilustrar um pouco a diferença entre eles, e assim, ajudar você a ter uma melhor ideia sobre o lado que você está posicionado e também, o lado que os candidatos estão posicionados.

- Quando uma pessoa de direita é homossexual, vive tranquilamente a sua vida como tal. (Clodovil Hernandes) - Quando uma pessoa de esquerda é homossexual, faz um barulho danado para que todos o respeitem. (Jean Wyllys)

– Quando uma pessoa de direita é homossexual, vive tranquilamente a sua vida como tal. (Clodovil Hernandes – PR )
– Quando uma pessoa de esquerda é homossexual, faz um barulho danado para que todos o respeitem. (Jean Wyllys – PSOL)

Esquerda” e “Direita” são uma forma comum de classificar posições políticas, ideológicas, ou partidos políticos legais. Geralmente são entendidas como polaridades opostas de um mesmo espectro político e ideológico. Assim, um partido poderia ser “esquerda” em determinadas instâncias e “direita” em outras.

A origem dos termos remonta à Revolução Francesa, onde os membros do Terceiro Estado, que almejavam uma mudança na forma de governo vigente, se sentavam à esquerda da assembléia, enquanto os do clero e da nobreza, que desejavam a conservação da forma de governo, se sentavam à direita

Quadro comparativo:

Não há fatores determinantes e conclusivos que descrevam a “esquerda” ou a “direita“, dependendo geralmente dos grupos e viés dos defensores de um lado ou de outro. Algumas diferenças usuais entre os lados :

Esquerda Direita
Otimismo antropológico (o homem como “naturalmente bom”) Pessimismo antropológico (o homem como “naturalmente mau”, no entanto como sendo a direita conservadora ela considera, segundo a religião cristã, o homem como ser bom, mas corrompido pelo pecado original)
Utopismo, (crença na capacidade da razão humana para desenhar uma sociedade ideal) Anti-utopismo, não crença num mundo perfeito mas na capacidade de melhorá-lo.
Linearismo evolutivo (a história com “um sentido”) Indeterminismo histórico
Igualitarismo e Coletivismo Democracia, direito à diferença e a proteção do direito individual.
Anti-economicismo (a história determinada pela cultura, pelos grandes homens, etc.) Economicismo (a história determinada pelas forças econômicas)
Socialismo, coletivização e intervenção do Estado na economia. Capitalismo, livre mercado e direito a propriedade privada.
Internacionalismo, coletividade econômica Nacionalismo, individualidade econômica

 

Eu me identifico como direitista, não extremista, mas acredito que cada caso um caso. Acredito que as pessoas podem evoluir financeiramente através dos seus esforços e dos seu potencial empreendedor. Sou um pouco conservador, e claro, acredito em um mundo melhor! Não em um mundo perfeito, mas que possamos melhorá-lo!

O PC Siqueira explicou muito bem numa linguagem jovem e acessível para quem nunca entendeu o que significa direita e esquerda na política. Desconfio que tem muita gente de esquerda mas ainda não sabe que é.

E você? É de esquerda ou de direita?

Arena da Amazônia x Teatro Amazonas

Essa foto me causa espanto até hoje…

Nos teletransportemos mentalmente para 1880 (mais ou menos), época em que Manaus era uma vila e iniciavam-se os trabalhos para a belle époque que ainda chegaria… Quando começou a bela época lá pelos 1890, Manaus passou por diversas transformações e as nossas “roças” começaram a ser abertas para receber ENORMES monumentos, tais como Teatro Amazonas, Igreja de São Sebastião, Palácio da Justiça, Reservatório do Moco etc etc etc… mas nos concentremos alí, na zona do centro histórico.

Por esta foto podemos ver como destoava o Teatro Amazonas, era algo como “um elefante branco no meio do mato”, mas claro, alguém teve pulso pra fazê-lo, e hoje… 100 anos depois é o Patrimônio Histórico mais importante da nossa cidade, é nosso cartão de visita!

Teatro Amazonas há 100 anos atrás foi considerado um elefante branco

Teatro Amazonas há 100 anos atrás foi considerado um elefante branco. Essa foto é durante os acabamentos do Teatro Amazonas.

Voltemos, para o hoje, 2012. Pensamos errondoneamente que somos grande, mas nosso pensamento ainda é o mesmo de 100 anos atrás.

Teatro Amazonas foto : Jorge Herrán

Teatro Amazonas
foto : Jorge Herrán

Vos digo isso porque sempre que falamos da Arena da Amazônia, usamos expressões parecidas… “Isso vai ser um elefante branco, nem temos time de futebol”; “Isso é pra lavar dinheiro!”; “Isso não vai dar em nada, pra que essa cavalice de estádio?” ; “Um estádio pra receber 3 jogos da copa e provavelmente será Uzbesquistão e Líbia”.

Projeto Arena da Amazônia, estádio de Manaus para o mundial da FIFA 2014

Projeto Arena da Amazônia, estádio de Manaus para o mundial da FIFA 2014

Acho que naquela época também pensavamos como: “Nem temos cantores de ópera!”; “Pra que essa cavalice de teatro?”; “Isso nao vai dar em nada!”

A Arena Amazônia será um estádio de futebol que está sendo construído na cidade de Manaus, estado do Amazonas, no local antes ocupado pelo Estádio Vivaldo Lima (O Vivaldão)

A Arena Amazônia será um estádio de futebol que está sendo construído na cidade de Manaus, estado do Amazonas, no local antes ocupado pelo Estádio Vivaldo Lima (O Vivaldão)

Portanto deixemos nosso pensamento de inferioridade de lado e apostemos em ideias inovadoras e megalomaniacas, nós somos hoje a 6a cidade mais rica do país, se podemos hoje construir um estádio que durará uma vida, por que não fazê-lo? Por que ficar sempre fazendo estádio meia boca e a cada 10 anos ficar reformando? Façamos um estádio a nível da história da nossa cidade, um estádio que nos encha os olhos e que vire museu!

Um estádio que encante os jogadores e os torcedores e que claro, possa nos trazer retorno econômico principalmente porque precisamos investir nos nossos atletas!

Precisamos resgatar o nosso amor pelos times locais, mas para isso devemos investir pesadamente nos nossos clubes. Sabemos investir muito dinheiro em empresas estrangeiras, e por que não investimos também pesado nas pessoas dos nossos solos, nas pessoas que aqui vivem?

Claro que podemos fazer!

O arquiteto autor do projeto Arena da Amazônia é o Ralf Amann do escritório alemão GMP, arquiteto muito bem conceituado. O novo estádio deverá ser poliesportivo, com cobertura retrátil e uma capacidade estimada em torno de 47.000 pessoas.

O arquiteto autor do projeto Arena da Amazônia é o Ralf Amann do escritório alemão GMP, arquiteto muito bem conceituado. O novo estádio deverá ser poliesportivo, com cobertura retrátil e uma capacidade estimada em torno de 47.000 pessoas.

Pode ser viagem da minha cabeça, mas tinha que compartilhar com vocês essa minha reflexão….
Como diria o Marcelo D2

Deixa pra lá, eu devo tá viajando
Enquanto eu falo besteira, nego vai se matando

boa semana a todos

Com arquitetura inspirada na floresta amazônica que rodeia a cidade de Manaus, a Arena da Amazônia será um estádio totalmente novo, construído de acordo com rigorosas premissas de sustentabilidade e localizado estrategicamente entre o aeroporto e o centro histórico da capital amazonense.

Com arquitetura inspirada na floresta amazônica que rodeia a cidade de Manaus, a Arena da Amazônia será um estádio totalmente novo, construído de acordo com rigorosas premissas de sustentabilidade e localizado estrategicamente entre o aeroporto e o centro histórico da capital amazonense.

Ontem, no meu blog pessoal, voltei a receber comentários de uma reflexão que fiz ano passado, o link original é esse aqui . De acordo com os comentários, em Sampa rolou um debate em que uns jornalistas “desciam o malho” na Arena da Amazônia,ok, isso são há 4 anos que escutamos. Não vou nem questionar o fato do próprio jornalista torcer pra time argentino, porém, ainda não havia visto a reportagem e hoje me enviaram o link do vídeo.