Categoria Políticas Criativas

Conheça o outdoor que purifica o ar

Um país que cresce na construção civil, o Peru também está gerando muita poluição. A UTEC – Universidade de Engenharia, localizada em Lima, junto com sua agência de publicidade, a FCB Mayo, decidiu criar um outdoor de purificação de ar para amenizar os danos ambientais causados pelas máquinas de construção que está ampliando a área da universidade, construindo um novo campus.

Confira como funciona o método de plantação criativa com hidroponia

A hidroponia pode ser considerada uma ciência, uma técnica e também uma arte.Na hidroponia o cultivo vegetal é realizado sem solo ou outro substrato como fonte de nutrientes para a planta. Os elementos minerais essenciais para o crescimento e o desenvolvimento das plantas são fornecidos através de uma solução nutritiva que fornece na medida exata e de forma constante todos os nutrientes que os vegetais cultivados necessitam.

Conheça a cidade com hortas que oferecem alimentos gratuitos a seus moradores

Na pequena cidade de Todmorden, Inglaterra, os seus 17 mil habitantes podem se alimentar gratuitamente. Devido ao projeto The Incredible Edible Todmorden, que consiste no cultivo de hortas coletivas em espaços públicos da cidade. Todo alimento cultivado nestes locais está disponível para qualquer morador consumir. E de graça.

Colunas de viadutos transformadas em jardins verticais

Manaus passa por transformações urbanas que necessitam serem repensadas. Embora a nossa amada cidade esteja localizada no meio da floresta amazônica, ela é considerada a segunda capital menos arborizada do país. Manaus, segundo o censo IBGE 2010, tem apenas 25,1% de cobertura vegetal nas áreas urbanas, ou seja, apenas um domicílio, em cada quatro, possui uma árvore plantada em seu entorno. O município amazonense só perde para Belém, outra capital da região norte, que tem 22,4% de área verde urbana.

Igarapé do Mindu tem jeito!

O crescimento desordenado de Manaus, somado ao descaso do poder público e à falta de consciência da população, fez com que o principal rio urbano de Manaus fosse morto. O que até 30 anos era considerado um dos principais balneários da capital amazonense, o balneário do Mindu, hoje, é um rio fétido e depósito de lixo.

O igarapé do Mindu, em Manaus, hoje em dia mais parece a extensão das lixeiras das comunidades que habitam na margem dele. A falta de tratamento de esgoto e o descarte de poluentes industriais são os grandes vilões para esse quadro.

Atualmente, os 500 maiores rios do planeta enfrentam problemas com a poluição, segundo dados da Comissão Mundial de Águas. Contudo, diversas cidades conseguiram transformar seus rios mortos em belos retratos de cartão-postal, os exemplos principais são Paris e Londres. Nessas cidades, eles conseguiram reintegrar os rios à sua vida econômica e social.

O igarapé do Mindu tem jeito, basta termos um forte apelo social e pessoas comprometidas com a mudança. Eis alguns exemplos que podem inspirar as autoridades barés para que alcancemos os mesmos resultados.

Igarapé do Mindu / Foto : Amazonas e Mais

Lixos já fazem parte do Igarapé do Mindu  ( Foto : Amazonas e Mais)