Partido dos Trabalhadores e seu Exército Digital

Redes Sociais serão sem dúvida a principal Arena de 2014. Serão nas redes sociais que os partidos terão mais razões para se expor, para se defender, para contra atacar e atacar. Serão nas redes sociais que os eleitores poderão se aproximar do seu candidato.

Quem não tiver isso em mente, ficará muito para trás, e não adianta confiar na “fidelidade” do eleitorado, nas redes sociais, assim como no mundo real, o conteúdo patrocinado (comparado a disseminação via tv/rádio) será massivamente visto, enquanto o conteúdo “orgânico” será o famoso boca a boca.

Pode ganhar quem investir mais e melhor. Pode ganhar quem tiver o melhor conteúdo e maior poder de patrocínio, mas principalmente, a maior chance de se vencer é quem souber usar melhor a consciência coletiva a seu favor.

Partido dos Trabalhadores e seu Exército Digital

Partido dos Trabalhadores e seu Exército Digital

Hoje, esse artigo publicado no Folha me chamou bastante a atenção. Trata-se de um evento que será criado pelo Partido dos Trabalhadores.

De olho nas campanhas estaduais e presidencial, o PT prepara para o feriado da Páscoa, entre 18 e 20 de abril, um evento, batizado de ”campus party”, para treinar a militância a atuar nas redes sociais.

A ideia é formar um “exército digital” para divulgar e reproduzir ações positivas dos governos de Dilma Rousseff e Lula, além de contra-atacar notícias negativas.

”Queremos combater as mentiras”, diz o vice-presidente nacional do PT, Alberto Cantalice. “Temos que ter uma força que nos permita uma capilaridade para poder desmistificar essas coisas.”

Orçado entre R$ 350 mil a R$ 400 mil, o camping digital ocorrerá em São José dos Campos (SP) e terá 58 eventos em três dias, entre oficinas, palestras e programação cultural, com shows dos Racionais MC’s e Teatro Mágico.

O PT estadual arcará com despesas de estrutura. Segundo a organização, haverá oficinas de conteúdo e de criação de blogs, entre outros.

José Américo, secretário nacional de comunicação, diz que a ideia é reproduzir as experiências nos Estados.

Para os petistas envolvidos, há um entendimento de que parte do eleitorado será disputada nas redes sociais.

COPA
Entre as mesas de discussão estará uma sobre a Copa. O PT teme que o movimento nas redes sociais contra a realização do Mundial se alastre e contamine as eleições.

Cantalice garante que não haverá orientação para ataques pessoais aos adversários -em janeiro, a página do PT no Facebook publicou texto chamando o governador Eduardo Campos (PSB-PE) de ”playboy mimado” que “vendeu a alma à oposição”.

“Aquilo foi um ponto fora da curva. Continuaremos, mas não nessa linha, vai ser uma linha mais branda”, diz.

A programação não está fechada. Já estão confirmados o ex-ministro Franklin Martins, que cuidará das redes sociais da campanha de Dilma, e Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de SP.

Segundo a Folha apurou, o PT convidou Jeferson Monteiro, autor da paródia virtual “Dilma Bolada”, mas ele pediu cerca de R$ 20 mil para participar. Monteiro diz que recebeu proposta e a encaminhou à sua agência. Ele não fala em valores. “Eu é que não vou sair da minha casa, viajar e ficar falando para centenas de pessoas de graça.”

Comentários
Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedor, ambos pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.