Marketing x Cultura – Festival Folclórico de Parintins

Neste artigo estarei tratando um pouco sobre o Festival Folclórico de Parintins – AM, e como a cultura popular influencia diretamente nas grandes marcas, além de fornecer diversos exemplos de marcas que entraram no ritmo do boi bumbá e mudaram suas cores durante o Festival de Parintins.

[hana-code-insert name=’Google’ /]

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins

Muitos já ouviram falar que as grandes marcas mudam de cor durante o Festival Folclórico de Parintins, mas poucos já viram isso de fato. Essa mudança é com certeza algo que chama muito a atenção, principalmente para os profissionais de marketing, publicidade e design. Para uns, é puro capitalismo, para outros, mais do que isso, é permitir-se ser aceito dentro de uma cultura extremamente forte, e assim, ser consumido sem problemas.

[hana-code-insert name=’Google2′ /]

Como isso é possível? Basicamente estamos falando de Cultura, Personalidade e Consumidores.

Cultura porque representa a cultura dos “Bois”. Personalidade pois representa as cores vermelha do Garantido e azul do Caprichoso. Consumidores porque a marca sugere o tipo de consumidor que compra ou usa o produto, ou seja, qualifica as pessoas que consomem azul que torcem para o Caprichoso e vermelho que torcem pro Garantido.

Caixão do Caprichoso e do Garantido

Caixão do Caprichoso e do Garantido

História do Festival

Pra inicio e conversa é necessário sabermos como o Festival começou, assim, podemos identificar e aprender sobre os elementos culturais envoltos nesse tema.

O Festival de Parintins foi criado em 1966.

Conta-se que o Bumbá Garantido, isto é, a metade “vermelha” do município de Parintins, teve Lindolfo Monteverde como fundador do “Boi” Garantido. Ainda menino, gostava de ouvir as histórias que sua avó contava. A que mais lhe encantava, eram as lendas do boi de pano que dançava nas noites de São João.

A história permaneceu na imaginação de Lindolfo Monteverde, de tal forma, que ele viria a criar uma armação, cobrindo-a com um pano e saindo às ruas, brincando com o seu “Boi Bumbá”. Isso teria acontecido, há muitos anos, na cidade de Parintins.

Boi Bumbá Garantido

Boi Bumbá Garantido

No exército, Lindolfo adoeceu gravemente. Para recuperar a saúde, fez uma promessa a São João Batista que, se voltasse a ficar bom, seu “Boi” jamais deixaria de sair às ruas, pelo tempo que ele vivesse. Ele se recuperou e todos os anos, até os dias de hoje, os torcedores do “Boi” se reúnem para rezar e festejar.

O Boi Garantido foi criado branco com o coração vermelho. O nome, Garantido, tem algumas versões para justificá-lo. Uma delas deriva das primeiras brigas entre os “brincantes” (torcedores) de ambos os “Bois”. O chifre do “Boi contrário” cai e Lindolfo, como bom repentista que era, entoa as palavras: “nosso Boi sempre sai inteiro. Isso é Garantido!”. A outra versão parte de outro repentista, que desafia: “Este ano, se cuide, que eu vou caprichar no meu “Boi”. Lindolfo então retruca: “Pois capriche no seu, que eu “garanto” o meu!”

Já no lado azul do município existe o Bumbá Caprichoso, nascido em outubro de 1913, criado pelos irmãos Cid, que mudaram para Parintins com a esperança de começarem uma vida nova.

A coincidência entre os dois “Bois” acontece na promessa. Na ocasião, os irmãos fizeram também as suas a São João Batista. E tiveram seus desejos realizados. E então cumpriram o prometido: ofereceram um “Boi”, feito de pano, ao santo.

Jose Furtado Belém, advogado que teria feito carreira política em Parintins, tinha tido a oportunidade de conhecer a dança do “Boi” quando estivera em visita a Manaus. Ao encontrar-se com os três irmãos da família Cid e saber sobre “Boi”, gostou da ideia e, juntos criariam o “Boi” Galante. Mas foi só em 1925 que um grupo de pessoas se reuniu com o objetivo de fundar um “Boi Bumbá”. Um dos presentes, o Coronel João Meireles, teria sugerido colocar o nome de Caprichoso – “Boi” que teria visto em Manaus, do qual o coronel seria fã.

Boi Bumbá Caprichoso

Boi Bumbá Caprichoso

O nome Caprichoso teria um significado intrínseco a ele, isto é, pessoas cheias de capricho, trabalho e honestidade. O sufixo “oso”, significando provido ou cheio de. Quando somados, “capricho” mais “oso”, poder-se-ia dizer que é extravagante e primoroso em sua arte.

O “Boi” Caprichoso contava, inicialmente, com uma marujada, como eram chamados os integrantes da batucada, de 20 pessoas. Os símbolos da Marujada eram: a Estrela Maior, o Amo e A Vaquejada. Surge então, o símbolo do Caprichoso: a estrela azul.

 

Marketing

O que esse história do folclore brasileiro tem a ver com Marketing? Simplesmente tudo…Diferenciação, inovação, marca e embalagem.

Tudo na Ilha Tupinambarana gira em torno das cores azul e vermelho. A identidade visual fica portando definida de modo que faça referência à um ou ao outro, ou em alguns casos, à ambos no mesmo produto.

A quantidade de pessoas e de possibilidades de negócios é fenomenal, sendo que várias empresas personalizam suas marcas para garantir que evento possua sua marca em destaque.

As marcas na Arquibancada do Caprichoso ficam em azul

As marcas na arquibancada do Caprichoso ficam em azul

As marcas na Arquibancada do Garantido ficam em vermelho

As marcas na arquibancada do Garantido ficam em vermelho

Já tinha visto algo assim? Parece estranho? Está errado? Nada disso. Trata-se da exposição de uma das muitas marcas presentes no festival folclórico de Parintins, no Amazonas. É a segunda maior festa do Brasil, só perde para o Carnaval, e envolve toda a região norte do País.

Dessa forma, por mais estranho que possa parecer, as questões culturais falam mais forte. As marcas que tradicionalmente usam cores vermelhas também têm que adotar o azul como sua segunda cor em Parintins.

Marcas Grandes Mudam de Cores

Latinha da Coca-Cola no ritmo dos bumbás

Latinha da Coca-Cola no ritmo dos bumbás

Segundo Kotler, a embalagem é o conjunto de atividades de projeto e produção do recipiente ou envoltório de um produto. Além de mostrar a forma do produto, destaca como a marca pode ser identificada por determinado nicho de mercado ou atividade.

Em Parintins, quem teve a oportunidade de ver as embalagens azuis e vermelhas que foram adaptadas para o evento que, de tão importante, exige que as principais marcas de varejo se adaptem e produzam produtos adaptados às necessidades, sendo uma importante oportunidade de inovação.

Ao contrário do que um desavisado possa pensar, não se trata de uma influência do filme “Avatar” nas marcas. O motivo é genuinamente brasileiro. No município de Parintins, no Amazonas, a tradicional disputa entre os bois Garantido e Caprichoso mexe não só com o cotidiano da cidade, mas também com as marcas lá presentes.

Agência do Banco Bradesco com a logo azul chama a atenção em Parintins

Agência do Banco Bradesco com a logo azul chama a atenção em Parintins

 

O banco Bradesco seguiu a tendência e também possui a marca em azul

O banco Bradesco seguiu a tendência e também possui a marca em azul

Exemplos de produtos e embalagens com a temática do Festival de Parintins

Para criar uma embalagem, as etapas não são fáceis como parecem. No mínimo as 5 condições abaixo têm que ser seguidas para que empresa consiga avaliar a sua própria embalagem, segundo Shimp, no modelo VIAP: Visibilidade, Informação, Apelo Emocional e Praticidade.

Seguem, algumas das marcas  que conseguiram se adequar ao Festival Folclórico e produziram embalagens ou produtos de muito bom apreço.

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Tenis Promocional da Adidas

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins – Tenis Promocional da Adidas

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Natura Ekos

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins – Natura Ekos

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Latinha da Kaiser

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins – Latinha da Kaiser

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Latinha da Skol

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins – Latinha da Skol

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Latinha da Skol

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins – Latinha da Skol

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Lata de Leite NinhoNo ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins - Lata de Leite Ninho

No ritmo do boi bumbá as marcas mudam de cores em Parintins – Lata de Leite Ninho

Fontes: 1

marketing em parintins

marketing em parintins

Comentários

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedorismo e a Cruz do Mérito da Amazônia, ambas as comendas outorgadas pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.