Lugares que o dia não me deixa ver : Casarão da Ferreira Pena c/ a Monsenhor Coutinho

Nesta segunda feira o projeto “Lugares que o dia não me deixa ver”, idealizado pelo Ponto de Cultura Casarão de Ideias trará a luz 3 pontos de nossa cidade.

O projeto ‘Lugares que o dia não me deixa ver’, faz um alerta de preservação do patrimônio histórico local por meio da dança, do teatro e de uma iluminação especial. O evento tentava despertar o interesse dos amazonenses para os espaços públicos.

O projeto ‘Lugares que o dia não me deixa ver’, faz um alerta de preservação do patrimônio histórico local por meio da dança, do teatro e de uma iluminação especial. O evento tentava despertar o interesse dos amazonenses para os espaços públicos.

1º) Casarão da Avenida Epaminondas;
2º) Casarão da Ferreira Pena c/ a Monsenhor Coutinho;
3º) Casarão da Avenida Eduardo Ribeiro.

Essses casarões abandonados são de fáceis acessos entre eles, estão todos situados no Centro de Manaus e ainda assim parecem ser invisíveis aos nossos olhos.

Nessa foto abaixo, mostra-se o detalhe da casa onde funcionava o Consulado do Japão (Esquina da Ferreira Pena com a Monsenhor Coutinho.)

detalhe da casa onde funcionava o Consulado do Japão (Esquina da Ferreira Pena com a Monsenhor Coutinho.)

detalhe da casa onde funcionava o Consulado do Japão (Esquina da Ferreira Pena com a Monsenhor Coutinho.)

O prédio é antigo e possui detalhes arquitetônicos interessantes, como um busto de mulher no canto da casa, dominando o frontão. Manaus tem uma colônia japonesa e numerosos navios de bandeira nipônica aportam frequentemente em seus cais.

É uma pena que prédios lindos como estes estejam completamente abandonados :'(

Participem do projeto, prestigiem e fotografem bastante, tudo isso no futuro servirá como registro de uma Manaus Abandonada.

Segunda-feira passada, estive acompanhando a iluminação cênica no prédio da Santa Casa de Misericórdia, na Avenida 10 de Julho. E ano passado também visitei a Santa Casa para ver como estava e escrever um pouco sobre esse Hospital que foi tão importante para a nossa sociedade e que hoje encontra-se abandonada :'(

Apesar de atender em média 1,5 mil pacientes por mês, a Santa Casa de Misericórdia, em Manaus, fechou as portas na terça-feira, 7 de Dezembro de 2004.

Santa Casa de Misericórdia como era antigamente

Santa Casa de Misericórdia como era antigamente

Santa Casa de Misericórdia como é durante o dia

Santa Casa de Misericórdia como é durante o dia

Santa Casa de Misericórdia como ficou com a intervenção.

Santa Casa de Misericórdia como ficou com a intervenção.

Comentários

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedorismo e a Cruz do Mérito da Amazônia, ambas as comendas outorgadas pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.