Elefantes invadem as casas

O encantador mundo do design, nos faz perceber que pequenos detalhes que fazem toda diferença em qualquer ambiente.
Uma dupla de designers israelenses, Idan Noyberg e Gal Bulka, começou com a ideia de criar um simples pregador de roupas, porém que capta a energia solar e, à noite, é acionado emitindo luzes coloridas. Agora, em seu segundo projeto juntos, eles buscam trazer algo divertido e inusitado, por isso fizeram um acessório encaixável em tomadas que tem um formato de elefante, o Elefant in the Room.
Feito de plástico, foi pensado para ser integrada a ambientes domésticos que necessitam de um toque que os renove. De fácil instalação, o elefante pode ser anexado em tomadas.
Incrivelmente, o cabo de força que for conectado ali se transforma instantaneamente em uma tromba. De acordo com cada fio introduzido na tomada o elefantinho ganha novos rostos em branco, preto, cinza ou vermelho. O produto foi produzido por enquanto em pequena escala e custa cerca de 29 dólares.
Criatividade e desejo de inovação, confira esse singelo e fofo projeto Elefant in the Room:

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Elefantes invadindo casas

Comentários

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedorismo e a Cruz do Mérito da Amazônia, ambas as comendas outorgadas pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Em meu blog, escrevo sobre Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI!