Cidades Criativas – Ideias para Livre Circulação nas Calçadas

Este final de semana estive passando pela Avenida André Araújo e percebi uma intervenção bem bacana, porém, por nada criativa!

Observei que na frente de uma determinada empresa (Rede Amazônica), haviam colocado blocos de concreto para inibirem e impedirem que certos “motoristas” estacionassem nas calçadas. A atitude é digna de aplausos, afinal, essa cultura de estacionar nas calçadas é COMPLETAMENTE SEM NOÇÃO! Além de atrapalhar o trânsito, impossibilita a livre circulação de pedestres tirando um dos nossos direitos constitucionais: O direito de ir e vir.

Aliás, as denúncias sobre carros estacionados nas calçadas devem ser feitas ao Manaustrans pelo telefone 0800 092 1188, disponível 24h à população, mas isso é um outro assunto.

Voltando ao ponto de partida, minha dúvida é: Mas precisava mesmo serem BLOCOS DE CONCRETO?

Blocos de concreto na Avenida André Araújo. foto: Marcus Pessoa

Blocos de concreto na Avenida André Araújo. foto: Marcus Pessoa

Caso você não tenha acompanhado ou não esteja informado, em uma pesquisa realizada em parceria entre o Implurb, o grupo Pedala Manaus e a Empresa Jr. da Uninorte Laureate, na Avenida André Araújo no dia 5 de junho de 2013, observou-se que passam em média de 96 ciclistas por hora.

Se sabemos que é uma avenida que funciona também como rota de bicicletas, talvez a solução criativa que vi lá fora, nos servisse!!

Ao invés de colocarem blocos de concreto, a Prefeitura de Milão instalava barras de ferro.

Essas barras serviam não apenas para coibir que os veículos subissem nas calçadas, como davam a possibilidade para que os ciclistas  amarrassem suas bicicletas nelas, afinal de contas, as bicicletas ocupam muito menos espaço e essas barras ficam muito mais elegantes de serem vistas do que meros blocos de concreto.

Barras de ferro para bicicletas. Foto : Marcus Pessoa

Barras de ferro para bicicletas. / Foto : Marcus Pessoa

De repente, se tivéssemos essas barras, nos sentíssemos mais seguros para andarmos nas calçadas, além de serem úteis para toda a população. Atitudes simples e inteligentes assim é que fazem toda a diferença nas cidades criativas.

DEIXE SEU COMENTÁRIO AQUI!

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano – Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedorismo e a Cruz do Mérito da Amazônia, ambas as comendas outorgadas pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.