Aplicativo que “rastreava namorado” foi bloqueado pelo Google.

Alguns meses atrás eu comentava sobre a invasão de privacidade do Facebook, no que se dizia a respeito dele alertar “se utilizar do GPS dos celulares para notificar amigos que estão próximos“.

Porém, como já profetizava, o pior estava por vir! Por sinal, ele veio e já foi!

O maior sucesso de todos os tempos da última semana, no que se refere a aplicativo para celular, foi, sem dúvida, o Rastreador de Namorado. O sujeito teve uma ideia brilhante: por que não dar, às almas gêmeas, aos casais de pombinhos completamente apaixonados, aos pares perfeitos, a chance de bisbilhotarem a vida de seus amados por temerem, seriamente, estarem recebendo um chapéu de touro de seus amores? Em um país em que se dá jeitinho para tudo, até mesmo para as puladas de cerca (quem nunc… oh wait!), o sucesso era garantido. Dezenas de milhares de usuários acessaram a lojinha de apps do Google para baixarem a solução para os seus medos em relação à infidelidade partidária do parceiro.

App “Rastreador de Namorado” foi bloqueado pelo Google. Agora, todo mundo pode pular a cerca!

App “Rastreador de Namorado” foi bloqueado pelo Google. Agora, todo mundo pode pular a cerca!

O funcionamento do aplicativo era simples. Você instalava no celular da pessoa amada sem que ela soubesse (afinal, se ela soubesse, ou não pularia a cerca, ou desinstalaria o app), inseria o seu próprio número de telefone e definia duas senhas: uma para localizar o celular e outra para ligações. Enviando um SMS com o código definido para saber a localização, o usuário receberia um outro SMS com um link para o local aproximado do usuário no Google Maps. Enviado o código para ligação, o aplicativo efetuaria uma ligação para o usuário para, ao atender, ouvir tudo o que se passa no recinto onde o traíra está. Se quisesse, ainda tinha uma caixinha para marcar e receber todos as mensagens de texto que o infiel receber (!?!?).

O sucesso foi tão grande que o Filipe Kiss resolveu desenvolver o Anti-Rastreador de Namorado (ARN). Disponível para todas as plataformas, até mesmo para Windows Phone (ironia, ok?), o app promete modificar a localização do GPS do aparelho. Além disso, o ARN permite que o usuário grave reuniões, conversas com os pais ou qualquer outro tipo de som. Uma vez configurado, sempre que o Rastreador de Namorado entrasse em ação, o ARN seria ativado, salvando o namorado infiel de ser pego no flagra. Praticamente um app das Organizações Tabajara de tão interessante.

O problema com o Google começou quando, ainda na primeira versão, o Rastreador de Namorado permitia que o futuro chifrudo ocultasse o aplicativo do sistema, agindo, assim, pelas costas (êpa!) do infiel. Como este tipo de ação fere as diretrizes da lojinha do Google, o app foi banido e o desenvolvedor teve que remover a opção. Voltando à loja, o sucesso continuou grande, mas, sem mais nem menos, o Google removeu novamente o app.

Dessa vez, o app que estava na Google Play segue todas as políticas e notifica o usuário de todas as formas possíveis, por vibração, som, pisca uma luz e mostra todo o texto enviado”, disse um dos desenvolvedores ao G1. Ainda segundo ele, “em nenhum momento a gente incentiva que as pessoas façam isso. Sempre dissemos: instale no celular do seu namorado apenas com o consentimento dele”. Se a intenção do app é sacanear o dono do aparelho, é, no mínimo, irônico que o desenvolvedor recomende que o parceiro avise “olha, amorzinho, vou instalar um app no seu celular porque acho que você está me traindo, mas fique tranquilo, pois só estou fazendo isso porque te amo muito! <3”.

rastreador_namorado_down

Uma coisa que, certamente, não passou pela cabeça de nenhum de vocês, tampouco dos milhares que instalaram o aplicativo, é que, ao não informarem os parceiros de que o aparelho passaria a ser monitoriado (aproximadamente 99,9% dos casos), as pessoas estariam cometendo crimes. Segundo Victor Haikal, advogado especialista em direito digital, uma das possibilidades é a infração à Lei 12.737/2012 (a da Carol Dieckmann). A outra é à Lei 9.296/1996, que trata de interceptação telefônica.

Definitivamente, não sou ninguém para dar lição de moral a quem quer que seja. No entanto, não acredito que vigiar a pessoa amada seja a melhor solução para os problemas de qualquer casal. Por pior que seja o clichê, realmente acredito que uma boa conversa é muito melhor do que vigiar a vida dos outros, ainda mais da forma proposta pelo aplicativo.

Confesso que, caso o Google bana de vez o aplicativo da lojinha, na minha opinião, não fará nada menos que um serviço às pessoas. Caso a empresa se pronuncie ou volte atrás em sua decisão, o presente texto será atualizado.

fonte: MeioBit

Comentários

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedorismo e a Cruz do Mérito da Amazônia, ambas as comendas outorgadas pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.