20 coisas que estamos deixando de fazer por conta internet

A internet tem influenciado nossa postura de muitas maneiras. A partir dela nos informamos, nos comunicamos, nos exibimos e até mesmo estudamos.

Milhares de cursos gratuitos são oferecidos, bem como cursos pagos. Webinários, Hang outs e conversas via skype já são comum na vida dos “viciados” em internet.

Abaixo está uma lista reformulada e adaptada com 20 coisas, entre hábitos e posturas sociais, que a internet está destruindo:

20 coisas que a internet está destruindo

20 coisas que estamos deixando de fazer por conta internet

1 – A arte de discordar educadamente

As discussões insignificantes dos comentários dos sites de notícias ou do YouTube podem não ser representativas, mas certamente a internet aguçou o tom dos debates. O mundo digital parece incapaz de aceitar as diferenças de opinião. E os trolls e haters crescem em cada canto da web.

Muitos vociferam em comentários na internet, mas no mundo real, não conversam, não debatem e nem mesmo se manifestam.

2 – Medo de ser a única pessoa do mundo não tocada pela morte de uma celebridade

O Twitter talvez seja o local onde mais aconteça piadas sobre a morte de pessoas famosas. Muitas das piadas são de extremo mau gosto. O mundo digital parece ser um mundo frio, gélido, onde as pessoas não respeitam nem o “luto” dos fãs que, de outra forma, predominaria.

3 – Ouvir um disco do início ao fim

Com o passar do tempo, as pessoas passaram a fazer muitas atividades ao mesmo tempo. Uns dizem que são “multitask”, mas para estudiosos isso é “perda de atenção contínua”.  Os singles são um dos benefícios improváveis da internet. Por um lado, não é mais preciso aguentar oito músicas chatas para poder ouvir uma ou duas que valem a pena. Mas, por outro lado, álbuns que valem a pena terão a audiência que merecem?

4 – Pontualidade

Outro dia, meu amigo perdeu seu celular e marcou um encontro com uma amiga sua. Ela não sabia como iria encontrá-lo. E ele a respondeu : “à moda antiga, lembra?”.  Antes dos celulares, as pessoas precisavam manter seus compromissos e chegar ao restaurante na hora certa. Enviar mensagens de texto cinco minutos antes para avisar os amigos do atraso se tornou uma das grosserias descartáveis da era da conectividade.

5 – Listas de telefone

Você pode encontrar tudo que quiser na internet, com dados muito mais completos do que as antigas e mofadas Páginas Amarelas. Você não apenas encontra o que busca, como vê comentários, reputação online, depoimentos e até mesmo faz o pedido diretamente do celular.

6 – Lojas de música

Em um mundo onde as pessoas não estão dispostas a pagarem por música, cobrar delas R$ 30 por 12 músicas dentro de uma frágil caixa de plástico, definitivamente, não é um bom modelo de negócio. Hoje redes sociais de música estão roubando cada vez mais espaço e as lojas precisam se adequar.

7 – Memória

Quando quase todo fato, não importa quão obscuro e misterioso, pode ser esmiuçado em segundos através do Google ou do Wikipedia, o “mero” armazenamento e recuperação de conhecimentos em sua mente se tornou menos valorizado.

8 – Concentração

Quem, entre o Gmail, o Twitter, o Facebook, o Instagram, o Whatsapp e o Snapchat, consegue trabalhar? Uma nova tendência de distúrbio de concentração que se desenvolve. Manter o foco nas atividades está cada vez mais dificil e com isso, surgem várias ferramentas para a organização de rotina. Entre eles o Trello e o Run Run It.

9 – Decorar números de telefone

Depois de digitar os números na agenda do seu celular, você nunca mais vai olhar para eles de novo. Esse talvez seja o maior problema da internet. Anotar em 2 ou 3 lugares é sempre uma boa opção. Ou, você pode sincronizar tudo no seu gmail e sempre que precisar tê-los salvos. Definitivamente, as pessoas só vão memorizar números familiares. Não se sinta mal por isso.

10 – Teorias conspiratórias

A internet é constantemente dominada por pessoas excêntricas, mas, ao longo dos anos, se mostrou muito mais propensa para desacreditar teorias conspiratórias em vez de perpetuá-las. De qualquer forma, existem muitos sites com teorias conspiratórias e outras que se desconstroem. Escolha o seu lado, agora você tem muitas opções.

11 – Preencher formulários na última página dos livros

O mais próximo disso hoje são os serviços das livrarias virtuais como “Clientes que compraram este livro também compraram…”. Temos que dar valor para quem preenche formulário, pois, a pessoa gastar o precioso tempo dela é algo formidável em dias de internet.

12 – Álbuns de fotos e projeções de slides

Facebook, Instagram, Flickr e sites de impressão de fotos como Snapfish são a nova maneira pela qual compartilhamos nossas fotos. No início deste ano, a Kodak anunciou estar descontinuando a produção do seu clássico filme Kodachrome por falta de demanda.

13 – Depender de agentes de viagens para marcar férias

Essa agora é uma mordomia. Para embarcar em uma viagem de férias, não precisamos mais passar obrigatoriamente pelo agente de viagens, que tenta insistentemente vender aquele pacote “imperdível”. Sites especializados montam a viagem dos sonhos dentro do orçamento possível.

14 – Adolescentes ansiosos pela sua primeira Playboy

A onipresença de pornografia gratuita e pesada na internet acabou com um dos mais temidos ritos de passagem para os meninos adolescentes: a compra de revistas de pornografia. Porque tremer na fila para comprar a última Playboy se você pode baixar montanhas de obscenidades direto na sua cama? Aliás, a playboy já até parou de fornecer no formato antigo.

15 – Relógios de pulso

Já é considerado um item de pessoas tradicionais um relógio de pulso. Ficar mexendo no bolso para pegar seu celular pode não ser tão elegante quanto olhar para um relógio de pulso, mas é mais econômico e prático do que andar por aí com dois equipamentos.

16 – Artistas ainda não descobertos

Graças a internet todos têm chance de se promoverem e colocarem suas pinturas ou poemas online de forma fácil. Antigamente era uma barreira. Artistas desconhecidos não têm mais desculpas.

17 – Escrever cartas

E-mail é mais rápido, barato e conveniente. Receber uma carta escrita à mão de um amigo se tornou um prazer raro, e até nostálgico. Como consequencia, frases de despedida formais como “Com as melhores saudações” foram substituídas por um simples “Valeu”.

18 – Matar tempo

Quando foi a última vez que você passou uma hora olhando o mundo pela janela, ou lendo novamente seu livro favorito? A atração da internet sobre a nossa atenção é implacável e, cada vez mais, difícil de resistir.

19 – Assistir televisão acompanhado

A internet permite que parentes e amigos assistam os mesmos programas em diferentes horários e em diferentes lugares, acabando com o significado daquele que foi um dos mais atrativos apelos culturais da classe média, a experiência compartilhada. Programas para assistir televisão juntos, se ainda existem, se limitam a eventos esportivos e reality shows.

20 – O intervalo de almoço

Você deixa o seu computador para almoçar? Ou come um sanduíche enquanto responde e-mails pessoais e confere as últimas promoções de passagens aéreas?

Comentários

Sou manauense, graduado em Design de Interface Digital, pós-graduado em Marketing, Propaganda e Publicidade pela Laureate International Universities e mestrando em Design da Comunicação na Politecnico di Milano - Itália. Sou o idealizador do No Amazonas é Assim e recebi o Prêmio Top Empreendedor nas Américas, além da Comenda da Cruz do Reconhecimento do Mérito do Empreendedorismo e a Cruz do Mérito da Amazônia, ambas as comendas outorgadas pela pela Câmara Brasileira de Cultura. Me interesso por Marketing Digital, Mídias Sociais, Branding, Gestão de Conteúdos Web, Turismo Cultural, Manaus de Antigamente além de Políticas Criativas.